Homossexualidade e Judaismo no Seculo 21


Lendo sobre a parada do orgulho gay que aconteceu em Tel Aviv na ultima sexta-feira, 12 de Junho, me fez pensar se 'judeus homossexuais' eh um tema discutido no Brasil.

Dai fiz uma pequena busca no Google.com.br e vi pouca informacao... entre elas, li uma pergunta feita por um jovem judeu homossexual, se ele podia ir a sinagoga ou nao. A resposta veio de um judeu ortodoxo tradicional e tenho certeza de que a resposta nao surpreendeu ninguem pois ele defendeu a posicao religiosa que possui.

Ateh ai tudo bem.

Mas lah pro final da resposta, ele falou algo que me fez sussurrar infinitos "nao!" pois eh um dos piores (se nao for o pior) conselho que alguem pode dar a um jovem que tem duvidas sobre sua sexualidade: case-se e tenha filhos, como se isso fosse uma atitude facil e sem dar o minimo pensamento a "futura esposa" deste jovem. Serah que uma mulher gostaria de ser surpreendida com a noticia de que se casou com um homem que nao tem a minima atracao por ela, que jamais a farah feliz e que destruirah sua auto-estima?

Uma mulher pode se casar com um homossexual, contanto que ela disso saiba ANTES do casamento e que esteja 100% consciente dos desafios que esta relacao trarah. Muita gente se casa por amizade, para dividir as contas (se ve de tudo nos EUA)... enfim... mas ambas as partes tem que estar conscientes de sua escolha.

Da mesma maneira, se um homem decidir se casar com uma mulher que sente atracao por outras mulheres, para "salva-la", ele tem que saber exatamente os riscos que esta relacao lhe trarah.

Dai procurei mais uns sites aqui e ali e notei que ha uma mistura de informacoes muito grande sobre Judaismo e homossexualidade em lingua portuguesa, o que torna o tem a um pouco (ou muito?) confuso para alguem que esteja pesquisando a respeito.

Bom, como sou curta e grossa e clareza eh comigo mesmo, vambora encarar o desafio de falar sobre esse tema de uma maneira respeitosa e direta.

Aviso: isso aqui eh um blog, galera, um blog... sou judia mas soh represento a mim mesma. Se eu der uma opiniao, serah minha somente jah que nao falo por nenhum grupo ou autoridade politica ou religiosa. Soh quero explicar de uma maneira precisa como este tema eh tratado nos diferentes grupos judaicos, usando referencias, estatisticas e testemunhos reais que sao facilmente encontrados em ingles, discutidos em jornais judaicos e nao-judaicos israelenses e americanos, exibidos em palestras ao redor do mundo, discutido em blogs etc, etc, etc.

Se vc sentir vontade de atirar pedras, por favor procure um espelho.

E aos curiosos sobre este assunto, vamos lah:

JUDEUS SECULARES

A maioria dos judeus israelenses sao seculares (nao religiosos), entao o seu tratamento a comunidade LGBT varia de individuo para individuo.

Quando um jovem judeu israelense conversa com sua familia sobre homossexualidade, a resposta dependerah dos valores pessoais da familia, que pode variar entre aceitacao plena a homofobia pura.

Israel eh a unica democracia no Oriente Medio, e assim sendo, eh o unico pais que possui uma convivencia pacifica com a comunidade LGBT, que se concentra em Tel Aviv.

COMUNIDADE REFORMISTA

A comunidade Reformista eh uma grande defensora dos direitos humanos e das minorias. A homossexualidade eh vista com naturalidade e ha tantos rabinos, quanto rabinas casados com parceiros do mesmo sexo.

COMUNIDADE CONSERVADORA (MASORTI)

Primeiro temos que entender como esse movimento funciona:

As halachot, ou regras do que se eh ou nao eh permitido do movimento Conservador sao discutidas e decididas pelo Committee on Jewish Law and Standards (CJLS - conselho formado por aprox. 25 membros).

Depois que a CJLS faz uma decisao, tais sao passadas as sinagogas que podem ou nao aceitar a validade das decisoes. A aceitacao das regras enviadas pela CJLS dependerah do rabino e do conselho administrativo de cada sinagoga.

Assim sendo, podemos encontrar uma grande variacao de comportamento em sinagogas Conservadoras. Enquanto uma pode ser mais liberal, a outra pode ser mais... conservadora (olha o trocadilho rs).

O movimento Conservador se viu questionado sobre o teor de aceitacao da homossexualidade em suas sinagogas em meados de 1980.

A comunidade decidiu por aceitar oficialmente que judeus homossexuais fizessem parte de seus servicos religiosos, mas nao lhes concedeu o direito de obter ordenacao rabinica.

No entanto, em 2006, o CJLS decidiu permitir a primeira ordenacao de rabinos e rabinas homossexuais (a aceitacao foi parcial e alguns membros da CJLS pediram demissao qdo derrotados).

O primeiro casamento entre pessoas do mesmo genero em uma sinagoga Conservadora aconteceu em 2012, ato que foi apoiado por algumas sinagogas e condenado por outras.

Deu pra perceber que algumas opinioes sao bem divididas neste movimento, certo?

De uma maneira geral, o movimento Conservador aceita a participacao de judeus homossexuais em seus servicos religiosos e que estas pessoas se tornem membros de suas sinagogas e a aceitacao destas pessoas ocorre de uma maneira bem natural. Porem, ao mesmo tempo, algumas sinagogas discordam da ordenacao de rabinos e rabinas homossexuais e algumas se recusam a realizar casamentos de pessoas do mesmo sexo.

ORTODOXIA

Primeiro vou descrever a visao oficial.

Depois, descreverei o que acontece na pratica quando um(a) jovem ortodoxo(a) se identifica como homossexual, o que os pais fazem, quais as solucoes que eles empregam, alguns testemunhos reais, estatisticas e finalmente minha opiniao pessoal.

Ufa! Senta que lah vem historia!

ORTODOXIA MODERNA

A principio, a Ortodoxia Moderna tinha a mesma visao da Ortodoxia convencional: rejeicao pura e total de judeus homossexuais. O tema jamais deveria ser discutido em publico ou a luz do dia.

No entanto... ha aprox. 20 anos a realidade bateu na porta da Ortodoxia Moderna dizendo que fingir que judeus homossexuais nao existem era um erro e entao o tema comecou a ser discutido, ainda que timidamente. Tal decisao se deu ao fato de um de seus rabinos, Steven Greenberg, ter revelado sua homossexualidade publicamente participando de um documentario sobre judeus gays e lesbicas que foram criados em lares ortodoxos.

A homossexualidade nao eh aceita abertamente na Ortodoxia Moderna, mas judeus homossexuais podem entrar ou se tornar membros destas sinagogas. Ninguem vai lhes incomodar, contanto que sigam as regras de decoro exigidas durante os servicos religiosos.

A Ortodoxia Moderna eh contra a ordenacao de rabinos homossexuais, o que levou a demissao de alguns rabinos que "sairam do armario". Tais rabinos encontraram emprego em sinagogas Conservadoras e Reformistas, universidades, escolas etc. mas pessoalmente, ainda se denominam ortodoxos, mesmo que a lideranca ortodoxa moderna lhes diga que eles nao podem mais usar a denominacao 'ortodoxa' quando descrevem suas capacidades e formacao profissional/religiosa. Eh uma longa discussao...

"Boa noite, eu sou um rabino ortodoxo homossexual Stev..."

"Nao, voce nao eh rabino ortodoxo!"

"Como nao? Eu recebi minha semicha (ordenacao) de uma yeshiva ortodoxa, eu estudei exatamente o que todos os outros rabinos estudaram, eu tirei as melhores notas na classe, eu afirmo que sou um rabino ort..."

"Voce eh gay, nao ha rabinos ortodoxos gays"

"Entao eu sou o primeiro!"

"Se eh gay, nao eh rabino ortodoxo!"

"Mas eu sou"

"Nao, voce nao eh"

etc, etc, etc...

De qualquer maneira, um rabino que tenha recebido semicha ortodoxa ou ortodoxa moderna e depois tenha decidido revelar sua homossexualidade nao pode mais se identificar como representante da ortodoxia. Mesmo que ele continue se identificando como 'rabino ortodoxo', o titulo eh questionavel, jah que ele nao mais representa a visao oficial da ortodoxia.

O desenvolvimento do dialogo entre homossexuais e Ortodoxia Moderna eh bem descrito por Steven Greenberg: "We’ve gone from homosexuality being a demonic evil, to an sinful proclivity, to curable illness and finally to an aspect of the human condition." (A visao da homossexualidade passou de um mal demoniaco, para um pecado escolhido, depois para uma doenca curavel e finalmente para um aspecto de condicao humana)

A acao continua de Steven Greenberg e outros que dividem sua opiniao tem levado a conscientizacao da existencia de judeus homossexuais e religiosos e desta maneira, a compaixao por este grupo tem aumentado com o passar dos anos.

Serah que algum dia a Ortodoxia Moderna aceitarah a ordenacao de rabinos homossexuais? Sinceramente, eu acho que nao... pois isso mexeria em outros aspectos, como casamentos e aceitacao de convertidos da RCA . Eh bem complicado isso...

Mas mesmo assim, grandes responsas sobre homossexualidade tem sido feitas e todas elas apresentam pontos que levam a uma reflexao mais pausada do assunto.

ORTODOXIA CONVENCIONAL

(yeshivish, movimentos chassidicos, haredim, sefaraditas religiosos, comunidades nao hassidicas)

A regra oficial eh: homossexualidade nao eh bem vinda, nao eh aceita e nao eh discutida. Ponto final. Se um judeu se considera homossexual, deve deixar sua familia e fugir de fora que jamais seja encontrado. Literalmente. Serah para sempre persona non grata.

. . . .

Ok, agora vamos para o lado pratico da coisa na ortodoxia convencional:

QUANDO UM JOVEM ORTODOXO DESCOBRE QUE EH HOMOSSEXUAL

Quando isso aconte, ele(a) nao tem a minima ideia do que estah acontecendo ou do que estah sentindo.

Como todos sabemos, uma pessoa pode se tornar consciente de sua homossexualidade ainda na infancia ou adolescencia. Outros podem atingir esta consciencia em vida adulta. Nao ha um "fator", um "divisor de aguas", uma "escolha".

Diferentemente da maioria das criancas e adolescentes, grande parte dos jovens ortodoxos nao tem nenhuma interacao com midias ou elementos da vida moderna. Eles nao tem televisao, nao possuem internet, nunca leram historia em quadrinhos, nunca chegaram perto de um jornal ou revista que nao sejam religiosos, nao recebem educacao secular (materias nao ligadas a religiao) e nunca ouviram qualquer termo que fuja da educacao religiosa estrita que recebem na escola.

Desta maneira, nao ha como eles saberem que 'sao homossexuais' porque eles jamais ouviram falar no termo 'homossexualidade' e nao tem a minima ideia de que tal condicao humana existe.

Entao... quando uma crianca ou adolescente ortodoxo(a) se sente atraido(a) por pessoas do mesmo sexo... uma confusao imensa se inicia na mente deles. E se um dia eles decidem contar a um professor, sao altamente reprimidos e correm riscos de expulsao da escola: mas mesmo assim, ninguem lhes explica o que estah acontecendo ou porque eles nao podem sentir tal atracao. Se contam aos pais sobre suas duvidas, apanham feio e recebem ordens de jamais tocar neste assunto novamente porque... well... eh a verdade, tenho que dizer: segundo a ortodoxia convencional, TUDO e TODOS os conflitos de uma pessoa serao curados quando esta se casar. Parece piada, mas muitos acreditam nisso piamente. Sejam traumas, lembrancas de abusos, problemas psicologicos, homossexualide: casa que passa.

Ok, voltando a realidade:

Entao quando estes jovens estao perto dos 20 anos, de uma maneira ou de outra eles descobrem o que eh homossexualidade e se conscientizam de sua condicao. Panico. Muitos se tornam vitimas de abusos sexuais neste periodo de 'descoberta' por predadores que se escondem em comunidades religiosas.

O jovem ortodoxo e homossexual, super confuso e perdido, toma as seguintes decisoes:

1. Contar aos pais novamente e esperar que eles tenham uma solucao

2. Calam-se e se casam, na esperanca de que uma esposa e filhos os "curem"

3. Decidem ficar solteiros para sempre

4. Pouquissimos deixam a comunidade onde moram, mas os que deixam, descobrem que ha outras portas onde eles podem continuar a exercer o Judaismo religioso que tanto amam e assumir quem sao

1. OS QUE CONTAM AOS PAIS E ESPERAM UMA SOLUCAO

Ateh 2013, os pais mandavam estes jovens a uma organizacao duvidosa (pois nao havia um unico profissional nela, nenhum medico, nenhum psicologo, soh amadores. repito: soh amadores) chamada JONAH. A Jonah prometia curar a homossexualidade dos rapazes (nao aceitavam mulheres) em tempo recorde! Muitos jovens foram enviados...

Porem, em 2014 um destes jovens decidiu falar sobre como era o "metodo de cura" usado pelo Jonah e... uau... eu nem sei como descrever... Depois que ele revelou publicamente o "metodo", outros jovens vieram ao publico para confirmar as acusacoes e a coisa ficou feia. Resumidamente, estes jovens afirmam que os "instrutores" do Jonah abusavam fisicamente e mentalmente deles, com a intencao de traumatiza-los tanto, mas tanto, que eles sentiriam nojo de ver outros homens e assim, se tornariam heterossexuais. O resultado final dessas denuncias foi um processo judicial contra o Jonah que ainda estah em andamento.

Mas mesmo assim ha pais que ainda enviam seus filhos ao Jonah... pais que nao tem internet, nao leem jornais ou revistas e nao tem a minima ideia do problema que esta organizacao estah envolvida.

Nota pessoal que nao tem nada a ver como assunto: infelizmente a falta de informacao "vinda de fora" na comunidade ortodoxa facilita a acao de predadores sexuais. No caso de Todros Grinhaus, suas vitimas nao tinham a minima ideia de que estavam sendo abusadas... e muitas outras vitimas dizem o mesmo... nao sabem descrever aos pais o que aconteceu, acreditam em tudo o que os abusadores dizem ("isso eh normal", "eh um modo de tirar a o mau olhado" etc.) e demoram anos para descobrirem que estavam sendo abusadas(os).

Voltando ao assunto:

Outra terapia duvidosa eh a de que gays devem se casar com lesbicas. Eu nao preciso dizer nada sobre isso, certo? Sou contra, pois isso me cheira a atitude desesperada e sem preparo algum, mas muitos aprovam essa "terapia de conversao".

A noticia dessa terapia apareceu de supetao em 2011 em TODOS os jornais judaicos ao mesmo tempo, e desapareceu. Nunca mais achei nada sobre o assunto, nem sei se os casais formados pelo rabino que teve essa ideia estao juntos ou nao. Este eh o site deles, mas tambem soh vejo noticias datadas de 2011.

2. CALAM-SE E CASAM-SE, ESPERANDO QUE O CASAMENTO OS "CURE"

ou

3. FICAM SOLTEIROS PARA SEMPRE

A maioria das comunidades ortodoxas assumem que um individuo irah se curar de todos os seus problemas quando se casa. Nao ha muitas notas oficiais desse fato, soh comentarios nao-oficiais em blogs, conversas informais entre amigos, entrevistas de pessoas que deixaram a ortodoxia e afirmam isso, alguns artigos em jornais religiosos... enfim... eh uma situacao que existe, mas ninguem discute a serio.

E o que acontece depois desse casamento, eh um emaranhado de infelicidade embrulhada em frustracao. O conjuge homossexual morre por dentro cada vez que tem que tocar seu conjuge heterossexual... e o conjuge heterossexual nao entende porque seu casamento eh tao infeliz e muitas vezes entra em depressao, pois pensa que a culpa de tudo eh sua... muita lagrimas, muita dor, muita terapia de casal e nenhuma solucao.

No final, grande parte dos conjuges homossexuais levam uma vida dupla.

Ha um site chamado Hod que ajuda judeus ortodoxos com informacao, aconselhamento e solucoes para que deixem suas vidas duplas. De 2008 a 2012, a Hod deu assistencia a mais de 5600 individuos.

Em 2014, 1157 homens que se definiram como haredim-homossexuais procuraram ajuda neste site. Dentre eles, 768 eram casados e 361 admitiram trair suas esposas com homens.

Nota pessoal: ateh onde eu li, essa Hod oferece ajuda profissional e acompanhamento psicologico as pessoas que os contactam. O rabino que lidera a organizacao tambem eh homosssexual, mas afirma que eh solteiro e pretende ficar assim. Eles nao fazem "terapia de conversao" ou coisa parecida. Passam a impressao de que realmente sabem com o que estao lidando e se limitam a aconselhar o homossexual a encontrar o caminho que lhe trarah felicidade, seja se divorciar e ficar solteiro ou assumir sua sexualidade e continuar vivendo. Nas palavras da Hod "We do not give up on our religious identity, nor do we wish to abandon our homosexual identity." (nos nao desistimos de nossa identidade religosa, nem desejamos abandonar nossa identidade homossexual)

Sim, este tema eh bem complexo... pois como pode uma pessoa que ama a vida religiosa, deixa-la por causa de sua homossexualidade?

Eh um tema que soh um profissional pode ajudar a responder.

. . . .

Bom, acho que falei bastante, mas se voce tiver alguma duvida (nao duvidas religiosas, please, pois nao sou rebbetzin, moreh, maharat... e nao tenho a minima ideia do que acontece com a espiritualidade de pessoas que cumprem 612 mitzvot em vez de 613) ou se voce notar que esqueci de mencionar algo, eh soh me contactar no Face ou atraves de e-mail.

Minha opiniao no assunto: todos merecem compaixao e dialogo.

Demonstrar compaixao e conversar honestamente sobre o assunto eh mais facil do que mandar o(a) jovem homossexual se casar com alguem que nao tenha ideia de sua condicao e desta maneira, condenar este casal a uma vida de infelicidade, tratamento psicologico, tratamento psiquiatrico para aquisicao de anti-depressivos, hospitais, remedios, traumas, confusao, brigas, abuso verbal, abuso fisico, mentiras, fingimento, traicoes e... tudo isso com filhos envolvidos.

Eh preciso refletir, mesmo que nao saibamos o que responder e terminemos nossa opiniao com um honesto "eu nao sei".

Posts Destacados
Procure por Tags

© 2015 por Vida Pratica.