Chabad Nao Faz Conversoes

E a saga investigativa sobre pq nao ha beit din de gerut ortodoxa no Brasil continua gracas aos nomes expostos na carta dirigida ao ex-emissario da Shavei Israel e esposa.

Agora que jah estamos cientes do que eh o edito, vamos partir para o segundo elemento que impossibilita a abertura de um beit din de gerut: Chabad.

Lubavitchers RECEBEM candidatos a conversao e os ENSINAM durante o curso, independente de quantos meses ou anos dure, no entanto, Lubavitchers NAO POSSUEM batei din de conversao.

Isso eh regra mundial. Eles nao podem abrir um beit din de gerut.

"Ah mas eu conheco uma sra. que se converteu no Chabad e..."

Nao, ela aprendeu e hoje pode fazer parte deste movimento, mas o beit din que a entrevistou nao era Chabad, era ortodoxo nao-Chabad.

Pq Chabad nao pode abrir beit din de gerut?

Entao, eh sabido que foi uma recomendacao de seu falecido Rebbe... eh o tipo de coisa que todo mundo sabe mas nao ha nenhum documento disponivel na net que prove isso.

"Esther, nao eh soh especulacao sua?"

Nao. Eh uma regra que se aplica desde a decada de 70. Rabinos Lubavitchers nao podem abrir um beit din de gerut. E se algum beit din Lubavitcher fez gerut, tal conversao nao eh reconhecida pela rabanut porque tal beit din nao deve (bom... nao estah) registrado lah. Isso nao afeta a religiosidade da pessoa, beit din casher eh beit din casher... mas se nao eh registrado na rabanut a pessoa que se converteu e seus descendentes nao podem se casar em Israel, fazer alyiah etc...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

NOTA IMPORTANTE = BATEI DIN LOCAIS: ateh a uns 10, 15 anos atras, era muito comum encontrarmos batei din ortodoxos locais (locais/independentes: nao registrados na rabanut) que tinham seu certificado reconhecido pelo Governo Israelense. A rabanut israelense possuia sua lista de batei din, mas jamais havia intervido ou questionado as conversoes feitas pelos batei din locais.

NO ENTANTO, tudo mudou ha uns 10, 8 anos atras qdo a rabanut comecou a monopolizar as conversoes ortodoxas... ha 5 anos mais ou menos eles CORTARAM todos os batei din ortodoxos locais da noite pro dia e baixaram a ordem de que SOH batei din registrados com eles sao validos. Muitos rabinos que faziam conversoes ortodoxas locais nem foram informados de que seus batei din nao eram mais reconhecidos pela rabanut. A atitude da rabanut nao tem a ver com religiosidade, mas com politica. Entao, mesmo que a linha Chabad nao tenha sido encorajada a fazer conversoes no passado (a prioridade deles eh kiruv), HOUVE aqui e ali batei din locais compostos por alguns rabinos Chabad que agiam de maneira independente e cujos certificados de conversao ERAM aceitos pelo Governo israelense, ou seja, seus guerim podiam fazer alyiah.

Depois que a rabanut CORTOU os batei din locais da lista, soh restaram estes: http://www.itim.org.il/en/recognized-rabbinical-courts-for-conversion/ E NENHUM DELES eh composto pro chabadniks.

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Chabad ensina mas nao converte

De todos os casos de candidatos que aprenderam com Chabad, destacarei dois exemplos, um com final feliz e outro com final... well... nao foi feliz na epoca mas espero que o candidato tenha resolvido sua situacao posteriormente.

Caso 1 :)

Uma jovem chamada Hauna se converteu ao Judaismo em Minessota, sob tutela do R. Lubavitcher Moshe Feller. No entanto, a jovem teve que ir ao Chicago Rabbinical Council para passar pelo beit din e receber seu certificado de conversao. Voce pode ler detalhes do caso no Jerusalem Post clicando aqui.

A jovem fez o CURSO com o rabino Lubavitcher, mas passou por um beit din NAO-Lubavitch... entendeu?

4 anos depois da conversao, ela fez alyiah, conheceu um rapaz em Israel e ambos decidiram se casar.

O casal apresentou documentacao para registrar o casamento 6 semanas antes da data escolhida... o registro foi recusado porque o rabino que autoriza ou desautoriza registros de casamento em Israel disse que a conversao dela teria que ser verificada por outro beit in em Israel.

Obviamente injuriada, ela tomou as redeas de seus problemas e decidiu resolver a base de ligacoes telefonicas, para explicar que fez sua conversao em um beit din que possui autoridade para tal, assim como queria explicacoes de o porque o certificado de conversao dela estava sendo questionado.

No final das contas, ela deixou o telefone de lado e foi resolver o assunto pessoalmente. Quando chegou no escritorio da rabanut em Tel Aviv, COINCIDENTEMENTE um dos advogados do Itim, do R. Seth Farber estava lah resolvendo um outro caso e ouviu a conversa de Hauna e o atendente do escritorio da rabanut.

O advogado do Itim imediatamente arranjou uma reuniao entre Hauna (a data do casamento estava perto!!!) e um beit din que lhe perguntou se ela observava Shabbat e outros principios da Lei Judaica. Ela confirmou que sua conversao tinha sido ortodoxa e TUDO DEU CERTO.

Caso 2 :(

Um jovem russo que fez alyiah para Israel decidiu se converter na ortodoxia. Ele foi aceito por uma yeshiva (escola de estudos religiosos para homens) Lubavitcher e depois de um intenso aprendizado, finalmente chegou a data em que o jovem se apresentaria em frente ao beit din para consolidar sua conversao.

O beit din ficou impressionado pelo conhecimento avancado do rapaz, mas um dos rabinos lhe perguntou se ele acreditava que o R. Menachem Mendel Shneerson era o messias e o jovem disse que sim... que foi isso que ele foi ensinado... entao... o beit din decidiu que ele nao estava pronto para se converter porque essa afirmacao nao tem base nenhuma no Judaismo. Voce pode ler sobre este caso no Jerusalem Post clicando aqui, ou em outras midias.

Ha muitos outros exemplos por ai, e todos seguem o mesmo padrao: Chabad ensina, mas nao pode converter. Se vc conhece alguem que fez gerut no Brasil sob tutela do Chabad, eh soh lhe perguntar QUAL foi o beit din que lhe entrevistou e concedeu o certificado, com certeza tal beit din foi composto por rabinos ortodoxos que NAO sao Lubavitchers.

A Carta do Vaad de Sao Paulo ao Casal Bennun

Esta carta foi ao mesmo tempo a pior e melhor coisa que poderia ter acontecido para individuos que se interessam por Judaismo, pois tal carta finalmente revelou os nomes do misterioso beit din de SP (que todo mundo tanto fala, mas ninguem sabia ao certo quem o integrava).

Com os nomes revelados na carta, conseguimos entender porque eh TABU falar de conversao ao Judaismo no Brasil e porque todo mundo que tenta (como a Shavei, por exemplo) eh afugentado agressivamente.

Alem desta carta ter revelado nomes, tambem nos deu uma otima visao de como a comunidade judaica de SP se desenvolveu e chegou ao ponto que estah hoje.

Entao nunca vai haver beit din de gerut no Brasil?

Nao.

Pelo menos nao enquanto o beit din de SP for composto em sua maioria por Lubavitchers e tiver como seu representante sefaradita um rabino Sirio... ou seja, enquanto uns nao podem abrir um beit din deste tipo, outro(s) nao podem fazer conversao de jeito nenhum.

Essa eh a essencia de um problema que a carta enviada ao casal Bennun nos revelou. O que passar disso eh propriedade acidental (detalhe).

Nao adianta chorar, protestar, pedir misericordia... nada. Os rabinos do Vaad de SP estao agindo 100% dentro de suas "leis" (halachot estabelecida por seus lideres) e nao estao quebrando nenhuma regra.

Na verdade, se o lado Sirio do Vaad apoiasse a abertura de um beit din de conversao e o lado Lubavitch aceitasse, ai sim eles estariam quebrando regras...

Tenso, nao?

Mas entao nao tem solucao MESMO???????????????

Tem. Tem sim.

O individuo que quer se converter ao Judaismo ou que possui provas de sua ascendencia anussita pode muito bem pegar o telefone e ligar p/ algum rabino de SP ou RJ... nao eh probido ligar.

Agora para os descendentes de Anussim que nao podem se mudar para SP ou RJ... o negocio eh arregacar as mangas e em vez de ficar postando fotos inuteis e musicas mediocres no Facebook, LUTEM POR VOCES MESMOS e gastem seu tempo online escrevendo para organizacoes que apoiam a causa anussita que estao FORA DO BRASIL, pq se alguma ajuda tiver que vir ateh vcs que moram no Nordeste, Norte ou Sul do pais, essa ajuda tem que vir de fora.

E mesmo assim, toda organizacao depende de DINHEIRO p/ funcionar.

A Shavei deu uma pausa no Brasil (ninguem sabe se definitiva ou temporaria) pq depois da carta enviada ao casal Bennun, a Conib (que concedia apoio politico a Shavei) fingiu que nunca tinha ouvido falar deles e tirou seu cavalinho da chuva.

Sem politica e sem dinheiro ninguem vai pra frente, sorry. Eh assim que funciona nosso mundo, quer gostemos ou nao.

Um beit din de gerut independente do Vaad de SP poderia ser aberto no Brasil

Contanto que tenham contatos politicos e influencia o suficiente, podem sim. A abertura de um beit din independente em SP nao eh ligado a religiosidade, que isso fique bem claro, mas eh ligado ao lado politico e financeiro.

Qto vc acha que custaria empregar rabinos e funcionarios neste beit din independente e quem pagaria as despesas? Some-se a isso o aluguel do local, taxas administrativas, licencas necessarias, taxas para a rabanut, tradutores, construcao de uma mikva etc, etc, etc. Eu acho (levando em consideracao salarios de rabinos americanos) que essa aventura nao sairia por menos de 1 milhao e meio de reais. E se o real continuar em declinio em frente ao dolar americano, a conta pode subir mais ainda.

Alem disso... seria necessario o lado politico p/ convencer a rabanut a passar por cima do Vaad de SP. Pelo lado logico, seria facil convencer a rabanut pois era soh dizer "o Vaad de SP eh composto por varios Lubavitchers e possui um Sirio" mas... isso seria usar o raciocinio logico... as vezes (maioria?) tal raciocinio nao eh usado, e entao o "raciocinio de influencias" toma conta das decisoes.

- Queremos autorizacao p/ abrir um beit din de gerut em SP.

- SP? Mas 2 rabinos lah sao meus amigos... eu jah passei Shabbat lah e fui muito bem tratado.

- Mas...

- E outros 5 sao parentes dos vizinhos das tias do primo da avoh da minha enteada... (huahauahauahauua eh por ai os relacionamentos). Nao dah.

- Pera! Mas eh que pelo raciocinio logico...

- Ok, jah falamos o suficiente por hoje. Proximo da fila!

Raciocinio logico nao basta, eh necessario influencia politica para passar por cima dos 'lacos de familia e de amizade', e depois... eh necessario dinheiro p/ arcar com as despesas.

Bnei Anussim de meu Brasil, descruzem os bracos e vao a luta porque se algo vai acontecer pra voces, SAO VOCES QUE TEM QUE IR ATRAS. Nao esperem por ajuda, ajudem a si mesmos. Chamem a atencao de organizacoes internacionais como a Reconectar e ateh mesmo Shavei Israel, pois eles podem ter desistido do Brasil, mas ainda usam O NOME DE NOSSO PAIS para fazer propaganda em seu website, e a razao disso deveria ser explicada.

Ok, vejo vcs no proximo post onde conheceremos quem eh quem no Vaad de SP.

Kol tuv,

E

Posts Destacados
Procure por Tags

© 2015 por Vida Pratica.