Convertidos Sofrem Preconceito?

Convertidos ao Judaismo sofrem preconceito?


Vamos falar disso abertamente, de maneira direta e precisa, mas antes, tenho que esclarecer alguns detalhes:


1. todos os meus comentarios se referem a convertidos ortodoxos e ortodoxos modernos.


2. todos os nomes usados no post sao ficticios p/ proteger a identidade dos mencionados


3. mantenha em mente o seguinte ditado Ladino: "El oro fino arrelumbra" (traduzindo: 'o ouro fino brilha', ou seja, uma pessoa de boa natureza revela seu valor verdadeiro).



Mas o que eh um convertido??

Usamos as palavras 'conversao', 'convertido(a)' por pura preguica e conveniencia, verdade seja dita. Nao existe tal termo na Torah. Em Ingles, a palavra eh 'convert', que eh beeeem mais facil de falar do que cooonn-veeeerrrr-tiiiiiiii-dooooooooo huahauaau


Mas nem convert, nem convertido, o que somos realmente de acordo com a Torah eh GER (termo usado para homens) e GEYORES (termo usado para mulheres) que significa simplesmente: estrangeiro e estrangeira.


Pq estrangeiro(a)? Pq realmente sentimos na pele o que Moises falou "sou um estranho em terra estranha" por um boooooooooom tempo. Mas depois passa e nos misturamos no povao ateh que... EVAPORAMOS! Sim, eh isso mesmo.



Como assim?

Sabe aquele americano-tio-sam que chega no Brasil todo empolgado vestido com uma camisa florida Hawaii 5.0, shorts, meia branca ateh no meio da batata da perna, chapeu de Indiana Jones beige claro e falando GIRIAS (GIRIAS!!!!!!!) em Portugues com sotaque fortissimo, se achando mais brazuka que todos nos?


Pois eh... de uma maneira figurada, esse eh o candidato a conversao chegando em suas primeiras aulas (huahauahau eh assim mesmo)


Agora imagine que este americano ama tanto o Brasil, mas tanto que desistiu de sua cidadania americana e conseguiu cidadania brasileira depois de 2 anos morando no Rio?


Ele pode ter a cidadania, mas ainda usa a camisa havaiana... mas pelo menos, agora que jah mora no Rio ha 2 anos, nao usa mais meia branca na altura da batata da perna.


Lah pro terceiro ano ele comeca a perder o sotaque... que ainda eh carregado, mas pelo menos ele se conscientizou que falar giria eh uma coisa que nao lhe pertence... ainda.


No quinto ano como cidadao brasileiro, ele jah comeca a entender nossos partidos politicos.


E assim por diante.


Qdo ele eh cidadao ha 8, 10 anos... ele simplesmente nao possui mais o sotaque... ele conhece o Brasil tao bem qto qqr brasileiro, sabe mais de Historia do Brasil que a maioria de nossos estudantes, jah trocou a meia branca e Nike pelas chinelas Havaianas... enfim... se ele andar pelas ruas do RJ, ainda vai dar pra perceber alguns leeeeves trejeitos do Tio Sam se focarmos o olhar nele... mas se nao focarmos o olhar, ele simplesmente se perde na multidao.


Ele se tornou tao brasileiro que jah nao mais lembra como era sua vida americana... esqueceu dos detalhes da imigracao... nao entende mais pq soh ha 2 partidos politicos fortes nos EUA enqto que ha 10000000002 no Brasil... a persona americana dele, suas insegurancas e medo de 'parecer diferente' evaporaram... o que resta agora eh um cidadao legitimamente brasileiro, por dentro e por fora.


Num sentido figurado, esse americano eh um ger! Um estrangeiro que nao mais simplesmente 'entrou' no povo brasileiro, ele se tornou o povo brasileiro, ele EH o POVO BRASILEIRO.


E eh isso que acontece com guerim tzedek que sao seguros de si. Evaporamos e simplesmente nos tornamos parte da multidao que compoe o povo judeu. Caminhanos sua caminhada. Sentimos seus sentimentos porque seus sentimentos agora sao NOSSOS sentimentos. Somos parte do povo. Somos o povo.



Mas isso soh acontece c/ guerim que se assumem. Guerim que escondem sua identidade no armario estao seeeeempre sendo assombrados pelo fantasma do medo de que descubram que ele tem escondido quem ele realmente eh.


Eles tbm se tornam o povo, como os guerim assumidos... soh que eles sempre carregam este fardo nos ombros de constantemente tenta se esconder... bom... vida de armario deve ser bem estressante.


Honestamente, eu respeito a decisao de cada um... mas tenho que dizer que qdo assumimos o que somos, a vida se torna bem mais feliz. E o mais importante: soh pessoas BOAS entram em nosso circulo de amizade. Amizades falsas ficam de fora.


Mas repito: cada um, cada um. Cada ger ou geyores tem plena autonomia em como levar sua vida depois de ter concluido a conversao.




Ooooooooook, voltando ao tema. Entao... guerim sofre preconceito?


Ha 2 respostas para esta pergunta e estudaremos ambas em detalhes.


- NAO, NAO HA PRECONCEITO ALGUM!! / - SIM, HA PRECONCEITO SIM!!


Parece confuso?


O negocio eh que o relacionamento entre judeus e convertidos eh bem PESSOAL, entao a resposta para este post tem que ser analizada passo-a-passo. Vamos analisar o caso de que NAO, NAO HA PRECONCEITO ALGUM e depois discutiremos o segundo caso:



- PRECONCEITO? ONDE? NAO HA PRECONCEITO NENHUM!


Pois eh, eu concordo com essa premissa. Se o candidato estiver dentro dos parametros corretos, jamais sofrerah preconceito. Quais sao os parametros corretos?


a) Estar na comunidade certa

Nao eh legal ser um convertido-nao-hassidico e morar em um bairro hassidico... nao eh legal ser um convertido-nao-haredi-que-apoia-o-exercito-israelense e tentar se infiltrar em uma sinagoga haredi que repudia o Estado de Israel, nao dah p/ ser um guer-que-acha-que-a-humildade-eh-importante e fazer parte de uma comunidade elitista e vice-vesa...


Entendeu a nuance da situacao?


Um convertido deve morar em um bairro judaico e se tornar membro de uma sinagoga que tenha a mesma linha de pensamento que ele acredita e pratique o Judaismo de uma forma que ele concorde.


Estando na comunidade certa, o convertido simplesmente se "misturarah" a galera daquela comunidade e serah muuuuuuuuito bem sucedido em sua vida judaica.



b) Acreditar nos valores da comunidade

Se o convertido acredita nos valores e costumes (moral, tradicoes, vestimenta, modo de agir etc.) da comunidade que frequenta e os pratica com amor e dedicacao, sua vida judaica seguirah de vento em popa!



c) Estudar, estudar, estudar SEMPRE!

Se o convertido se recusar a cair na estagnacao, ou seja, se mesmo depois da conversao ele continuar estudando e aprendendo Judaismo (historias, halachot, teologia judaica etc.) ele ganharah grande respeito na comunidade onde mora.



d) Personalidade

Entao... se o convertido tiver uma personalidade amigavel, for seguro de si, tiver bom humor, souber contar piadas decentes, eh uma pessoa justa etc, etc, etc, entao o entrosamento dele na comunidade (bairro e sinagoga) serah muito facil e em tempo recorde ele estarah super envolvido com a galera... tudo de uma maneira muito suave e natural.



e) Dinheiro

Sim, meninos e meninas... se o convertido for um "rapaz latino americano, sem dinheiro no banco, sem parentes importantes e vindo do interior" ele vai ter que estudar bastante (mas MUITO MESMO!!!!!!) p/ compensar sua falta de "parentes importantes" hahahahahahahahahahah :D


Quando digo 'estudar', me refiro a estudar Judaismo... pois esta eh uma religiao que prima pelo conhecimento. Em uma comunidade ortodoxa, uma pessoa sabia vale mais que uma rica, acreditem ou nao. Entao um convertido que manja, mas manja muito de Judaismo fica "pario-a-pario" (minha mae usava essa expressao... significa mais ou menos... de igual p/ igual) com uma Ivanka Trump da vida.


Quem eh Ivanka Trump? Simplesmente uma empresaria de muito sucesso que acontece de ser a filha do multi-bilionario e candidato a presidencia dos EUA, Donald Trump.


Ivanka se converteu ao Judaismo (Modern Orthodox) alguns anos atras apos seu casamento com Jared Kushner... eh tanto dinheiro envolvido na familia dela e do marido que eu tenho 99.9999999999% de certeza de que ninguem jamais se meteu a besta com ela na sinagoga que frequentam e se ela chegar em Sampa, serah super bem vinda onde quer que queira entrar.


Mas se vc nao eh filho de bilionario, entao VAH LER UM LIVRO (literalmente)! Eh isso mesmo. Adquira conhecimento e seja um judeu muito feliz e se sentindo parte ATIVA de uma comunidade : )



f) Ser uma pessoa natural

Sim, sim, sim. Naturalidade eh tudo. Falo por experiencia propria e pela experiencia de outros.

Convertidos que se comportam de uma maneira natural, assumem sua identidade judaica com um sorriso no rosto, falam amorosa e respeitosamente de sua familia nao-judia e levam a vida com bom humor nao sao atormentados pelas "sombras do preconceito". E se por algum acaso do destino, um individuo isolado lhe tratar com desdem, o guer simplesmente nao vai ligar (na verdade enche a paciencia qdo encontramos um personagem assim, mas... com o tempo aprendemos a dar respostas apropriadas a estes personagens singulares).



Ok, ficou mais relax, certo?




Agora vamos falar do lado negro da força:





SIM, HA PRECONCEITO, PRECONCEITO EVERYWHERE!!!!


a) Fazer parte da comunidade errada


AAAAAAAAAAAAAHHHHHHHHHHHHHHHHH!!!! D:


Nem os fortes sobrevivem a esta situacao!!!! Nem os fortes!!!!! Fazer parte da comunidade errada eh como viver no proprio inferno aqui na terra... e ser consumido <