© 2015 por Vida Pratica.  

O suicidio de Esti Weinstein

Suicidios na comunidade judaica religiosa chocam bastante. De alguma maneira, ha toda uma expectativa de que judeus ortodoxos vivem uma vida perfeita, e por ser perfeita, sao ortodoxos... mas na realidade, nao eh bem assim... 

 

Imperfeicoes existem em todos os lugares e as vezes o resultado delas eh devastador... 

 

Eu sempre fico mais do que chocada qdo leio sobre um suicidio na comunidade religiosa... nao somente por causa das minhas expectativas nao-realistas de uma vida religiosa perfeita... mas pq alguns suicidios sao soh a ponta do iceberg de problemas gigantescos... de alguma maneira (nao sei se ha extatisticas p/ isso) a maioria dos suicidios que vem a tona na midia sao cometidos por ex-hassidim... 

 

Meu marido tem um amigo hassid... o que eh muuuuuito incomum pq meu marido nao curte hassidim AT ALL... mas... ele tem esse amigo... e esse amigo jah tentou se matar algumas vezes... sim... ALGUMAS vezes... felizmente nunca deu certo. Como o amigo de meu marido nunca esteve envolvido em nenhum escandalo, suas tentativas de suicidio sao mantidas em sigilo... mas qtos(as) outros(as) como ele estao lutando para viver em nossas comunidades religiosas????????????  

 

O suicidio de Esti Weinstein, ex-Gur chassidiah, nos faz lembrar de varios casos que vieram a midia... e outros que ficaram em silencio. 

 

Mae de 7 filhas, Esti um dia decidiu abandonar o chassidismo e a familia. Se tornou nao-religiosa, arrumou um parceiro e soh uma das filhas continuou a ter contato com ela.

 

Acusacoes? Sim... de ambos os lados. Esti acusava o culto hassidico Gur (tbm chamado de Gerrer) de ter destruido sua vida e sanidade... e suas filhas a acusavam de simplesmente te-los abandonado sem aviso previo....

 

Depois de anos vivendo em conflito e sofrendo pela ausencia das filhas que ela abandonou... Esti foi encontrada morta, deixando uma nota de suicidio, um testamento e um livro de poucos mais de 100 paginas, que ela escreveu contando como era sua vida enquanto era uma Gur chassidiah...

 

Pelo fato dela ter pertencido a uma familia conhecida e importante, o caso "Esti Weinstein" ganhou repercussao internacional. Em Israel, nao se falava de outra coisa ontem... em jornais e blogs judaicos americanos, tbm.

 

Agora... o que me toca mais neste caso todo eh: a ausencia de ajuda psicologica que Esti, e tantos outros hassidim, sofrem... 

 

Ha toda uma conversa na internet com especulacoes de que ela tinha depressao, que era louca etc, etc, etc........... mas.............. se ela sofria de disturbios mentais, pq a ajuda demorou tanto a chegar? Pq ela nao foi auxiliada enquanto ainda morava em Bnei Brak (onde ha uma gde comunidade Gerrer)?

 

A falta de ajuda psicologica em comunidades chassidicas eh escandalosa... e eu me pergunto o motivo.

 

Em seu livro-testamento, Esti reclama das duras regras que Gur chassidim tem que se submeter... as regras mais pesadas sao referentes ao ascetismo sexual que o grupo acredita... o ascetismo e ausencia de contato entre marido e esposa, segundo ela, chegavam a tal ponto que alguns maridos nao chamam a esposa pelo proprio nome... apenas se referem a elas com "venha aqui...", "ei, olha isso...", "ei, olha aquilo..."

 

Alem do ascetismo, ainda ha na comunidade Gur certos "comandantes" que regulam o contato fisico entre marido e mulher... 

 

Tal ascetismo SOH eh vivido entre Gur chassidim, nenhum outro grupo hassidico possui regras como esta (embora alguns pratiquem outros tipos de ascetismo)... nao ha nenhuma prova de que TODAS as familias Gur seguem estas regras, no entanto, fala-se que milhares de familias sejam submetidas a elas.

 

Ok, mesmo com regras insuportaveis... pq ela teve que sair de casa bruscamente em vez de pedir por um divorcio e lutar pela guarda das filhas? 

 

Ai entra o elemento: o tabu da doenca mental em comunidades ortodoxas. 

 

Ao contrario de outras maes (e pais) que deixam a comunidade chassidica e se tornam seculares (nao-religiosos), Esti nao foi a corte lutar pela guarda de suas filhas. Por que?????? 

 

Muito do que se diz nos jornais eh mentira. Esti mantinha contato com os pais dela (o que eh raro qdo um chassid se torna secular), ainda tinha amigos do tempo em que era chassidica, seu ex-marido nunca lhe fez ameacas... por isso a suspeita de que ela sofria de algum tipo de disturbio mental leve que se intensificou sob a pressao encontrada qdo se casou (e teve que seguir as duras regras asceticas de Gur)... e tal pressao se acumulou durante os anos... e no fim, explodiu de maneira violenta, qdo ela abandonou o seu lar.

 

O que acontece com a alma de pessoas que sofrem de disturbio mental e tiram a propria vida????? Ninguem sabe.

 

Esti Weinstein (Gur)... Feigel Meyer (Belz)... Sarah Meyer (Belz)... Deb Tambor (Skeverer)... e outros dos quais nao lembro o nome... todos ex-hassidim... tvz todos poderiam ter tido um destino diferente se tivessem  recebido ajuda psicologica nos estagios iniciais de sua depressao.

 

E qtos mais tiraram a propria vida e jamais tiveram seus nomes expostos em jornais? O amigo de meu marido tentou suicidio mais de uma vez... ele sofre de depressao profunda... jah o alertamos, mas ele diz que "tem filhos solteiros em casa", o que significa: se ele procurar ajuda psicologica, seus filhos podem sofrer isolamento da comunidade (em comunidades ultra-ortodoxas, qqr coisa serve como desculpa p/ evitar que os filhos se casem)... 

 

Em meu outro post sobre suicidio, deixo o nome de uma organizacao judaica, Elija's Journey (https://www.facebook.com/Elijahs-Journey-182478658436741/), que auxilia individuos(as) que estejam sofrendo com pensamentos suicidas. 

 

Qtos judeus e judias terao que se matar para que o tabu da doenca mental em comunidades ortodoxas seja quebrado, e que tais casos sejam devidamente tratados?

 

 

 

Please reload

Posts Destacados

O Que é um Rabino? O Que é Semicha?

October 21, 2018

1/10
Please reload

Procure por Tags
Please reload