Chabad e Messianismo (hardcore) Parte 2


No post anterior sobre este tema vc ficou sabendo o que EH o messianismo, agora vc vai saber o que algumas das figuras mais importantes do Judaismo dizem a respeito.


Mas ANTES de tudo, deixa eu colocar minha opiniao PESSOAL sobre o Chabad: eu tenho sentimentos divididos. Soh isso. Quando falamos do lado cristalino do Chabad que eh a sua dedicacao ao kiruv e assistencia-social, eu apoio, ajudo e participo. Mas quando falamos do Chabad-messianista, ai eu sou 100% contra.


Frequento sinagogas Chabad, tenho amigos Chabad, AJUDO a causa Chabad, contribuo e ateh mesmo ofereco minha propria casa para que eles deem palestras a judeus nao-religiosos. Esse lado KIRUV eu sou super a favor. MAS... porem... todavia... NENHUM dos meus amigos Chabad falam sobre messianismo pra mim ou dentro da minha casa. Eles vem com o "moshiach now" deles de vez em quando, mas fica soh nisso mesmo, NADA vai alem dessas duas palavras.


Repito: quando Lubavitchers messianistas estao perto de judeus religiosos que NAO sao Lubavitchers, eles pegam leve e nao falam sobre messianismo e muito menos sobre suas praticas de necromancia e outras praticas bizarras.


Tipo... imagine se eu, Esther, pego um Kitzur Shulchan Aruch e rezo "Rabino Yosef Karo, fale comigo agora, vou abrir uma pagina qualquer e me de a resposta que eu tanto anseio"........... se eu fizesse isso, vcs tirariam minha teudah (documento) de conversao, certo? HUAHAUHAUAHAUAHUAHAUHUAHAUA Eh por ai, gente. Imagina alguem pegando o Guia dos Perplexos e consultar a alma de Maimonides? Ou pegar um dos volumes do Talmud e procurar consultar a alma de algum dos rabinos talmudicos?


Ninguem pode invocar a alma de rabinos mortos usando seus livros como canal de mediunidade... isso eh necromancia, e necromancia eh proibida na Torah. Entao esse lance de que "todo rabino Lubavitch consulta o Rebe antes de tomar qualquer decisao", como uma jovem afirmou num post da minha pagina de Facebook, eh uma MENTIRA. Aguardar a "volta do Rebe" como Cristaos aguardam a "volta de Jesus" tambem eh uma espera em vao. Todas as filosofias messianistas defendidas pelos Lubavitchers messianistas-hardcore (consulta aos mortos: necromancia, volta do Rebe, que o Rebe estah vivo na 770 - sinagoga dele em NY -, que o Rebe pode responder oracoes etc, etc, etc.) soh trazem vergonha para ao Lubavitch tradicional.


O messianismo-hardcore dentro do Chabad atinge uma MINORIA de seus hassidim. O problema eh que essa minoria eh barulhenta e nos dah a impressao que todo mundo lah dentro eh messianista-hardcore. Enfim... ha varias camadas de messianismo ateh chegar ao nivel 'hardcore'. Eu nao sei como sao os Lubavitchers brasileiros... sao messianistas? Nao sao messianistas? Possuem messianistas-hardcore em seu meio? Nao possuem? Nao tenho ideia. Tenho minhas suspeitas (isso aqui eh um blog, tenho o direito de suspeitar), mas... como nao moro no Brasil, nada posso afirmar.


Entao... eu sigo minha vida com o coracao dividido quanto ao movimento Lubavitch... faco minhas as palavras do Rabino Chaim Dov Keller, um dos primeiros comentaristas a documentar o pensamento messianista-lubavitch.



R. Chaim Dov Keller

Em um artigo de 1997, ele indagou sobre o movimento Lubavitch: (das duas uma, no futuro) "Será o Chabad um caminho verdadeiro para alcançar e aproximar os judeus de HaShem e Suas mitzvot, ou irah evoluir para um enorme culto messiânico cujo propósito é propagar a divindade e adorar o Rebe? "

God Centered or Rebbe/Messiah — Centered, Chaim Dov Keller, The Jewish Observer June 1997. Can be seen here: http://identifyingchabad.org/rabbikeller.html



E com essa pergunta do R. Keller em mente, vamos a mais um longo post:



Rabanut

O Grao Rabinato Israelense fez um pronunciamento em janeiro de 2000, afirmando:

Na reunião do Conselho do Rabinato Chefe de Israel realizada em 10 Shevat 5760 [17 de janeiro de 2000], uma discussão foi realizada sobre um anúncio de um determinado jornal, anuncio que mostrava o nome de varios rabinos, exigindo que uma pessoa deve obedecer as palavras de um profeta, incluindo a afirmação de que ele É o Rei Messias.


Apos a discussao, o Grao Rabinato de Israel e os membros do Conselho do Grao Rabinato de Israel, tomaram a seguinte decisão que foi aprovada por unanimidade: "Ultimamente estão sendo divulgados anúncios e declarações que podem confundir e enganar pessoas simples com propaganda messianista, (sobre o anuncio que afirma) que um certo rabino hassídico é o Rei Messias e que (segundo o anuncio) deve-se chamá-lo assim com várias proclamações. Não temos nenhuma intenção, Deus nos livre, de diminuir a grandeza e as atividades globais do Rebe de memória abençoada, mas porque estamos lidando com os fundamentos da fé e há perigo nessa propaganda, é necessário advertir contra essa abordagem . É sobre tais assuntos que os sábios disseram: "Sábios, tenham cuidado com suas palavras". Indivíduos que são indesejáveis (pilantras, no portugues claro) ​​aos olhos de nossos rabinos, estão explorando as assinaturas dos rabinos (contidas no anuncio) e transformando a fé simples na vinda do Messias em propaganda (...). É preciso ser cuidadoso e advertir as pessoas de que é preciso acreditar na fé direta de que o Messias virá como nossos Rabinos nos ensinaram, e quem acrescenta (alguma coisa sobre este ensinamento) diminui (sua pocao no mundo vindouro).

Hatzofeh, 11 Shevat 5760 (18 Jan. 200), 5. The Rebbe, the Messiah, and the Scandal of Orthodox Indifference by David Berger, 2001, published by the Littman Library of Jewish Civilization of Portland. Page 128–129.



Satmar Rebbe

Houve um rixa feia entre os grupos hassidicos Satmar e Chabad ateh a decada de 80. Com o tempo, a briga comecou a perder o sentido e hoje em dia, no geral, esses 2 grupos hassidicos mantem uma relacao diplomatica... ateh mesmo amigavel (falo isso no geral, pq ainda ha uns satmarish aqui e acolah que nao gostam de chabadniks). Segundo o antropologo Robert Eisenberg em seu livro 'Boychiks in the Hood: Travels in the Hasidic Underground', apos o falecimento do R. de Lubavitch, o Satmar Rebbe disse num gesto de puro sarcasmo: "Agora temos que esperar pelo verdadeiro Messias".



R. Aharon Kotler
Tido como o maior ou uma das maiores autoridades judaicas a colocar os pes na America do Norte, ele tbm foi o fundador da Yeshiva de Lakewood, Beth Medrash Govoha, sempre foi muito critico ao messianismo. Rabino Kotler nasceu na Lituania... judeus lituanos sao chamados na "linguagem do povao" de 'litvaks' ou 'litvish' e sao totalmente contra papos messianistas e surrealistas. Ser lituano eh ser ESTUDADO, eh ser racional e ver o conhecimendo adquirido como o maior objetivo que um ser humano pode almejar. Rabino Kotler sempre foi severamente contra os primeiros indicios do messianismo no Chabad, encontrado na decada de 50 e 60. Conheca mais do legado do R. Kotler aqui: http://www.jewishpress.com/indepth/front-page/the-legacy-of-rav-aharon-kotler/2012/11/14/
R. Yaakov Kaminetsky
Tipo assim... R. Kaminetzky eh "o rabino" para judeus ashkenazitas.

Rabino Kaminetsky expressou preocupação como messianismo Chabad no início de 1980, vendo que isso poderia se transformar em algo mais censurável. Ele aconselhou Bezalel Landau a não publicar alguns capítulos em um livro que ele havia escrito sobre o Gaon de Vilna, que tratava de sua oposição ao hassidismo (o Gaon de Vilna nao curtia hassidismo meeeeeesmo), pois tal material poderia dividir famílias, colocando ateh mesmo maridos contra esposas e vice-versa. Isso mostra que R. Kaminetzky, mesmo nao sendo hassidico, eh bem compassivo para com judeus hassidim. Mas mesmo sendo tao compreensivo, ele totalmente desaprovava o messianismo lubavitch.


Um certo judeu em Toronto encontrou Rabino Kamenetsky e disse-lhe: "Rabino, eu decidi parar de trabalhar no sábado e tentarei ser Shomer Shabbat em minha casa também. A razão para a minha decisão foi porque o povo do Chabad revelou-me que em breve o Rebbe deles será revelado como o Messias. Eu disse a mim mesmo: "Como vou parecer quando o Messias vier, se estou profanando o sábado?" Rabino Kamenetsky respondeu: "Não acredite neles. O Messias, para nossa decepção, ainda não é omed lavoh (revelado) ... Mesmo que nós esperemos todos os dias que o Messias virá, é incorreto acreditar no que eles disseram, que o Messias virá em um futuro muito próximo. Acreditamos que, mesmo que o Messias demore, ainda temos esperança de que ele venha. "

Depois que o homem partiu, os presentes perguntaram ao rabino Kamenetsky: "Por que nosso professor impediu que esse judeu guardasse Shabat? Agora, depois que nosso professor anulou as palavras do povo do Chabad, certamente ele continuará a profanar o Shabat." Rabino Kamenetsky respondeu: "Esta compreensão do povo do Chabad é uma compreensão imaginária, e seu benefício será recompensado por seu detrimento. Em um futuro próximo, quando este judeu ver que a certeza (sobre o Rebe de Lubavitch ser o Messias) não foi cumprida e o Messias não veio ateh agora, este judeu, que até agora acreditou com simplicidade e certeza na vinda do Messias, se sentirá decepcionado, e vai perder um dos fundamentos mais importantes no judaísmo: a crença na Vinda do Messias ".


Esta conversa entre R. Kamentezky e o judeu de Toronto pode ser lida no livro:
B'Mechitzasam Shel Gedolei Hador, Vol. 2. Jerusalem. by Shlomo Lorincz. Pg. 588



Rabino Elazar Shach

R. Elazar Shach foi o Rosh Yeshiva da yeshiva Ponevezh (uma das mais renomadas do mundo, localizada em Bnei Brak, Israel) e líder do judaísmo lituano, opôs-se a pratica Lubavitch de "forçar" a aparição do Messias (se vc jah foi em alguma reuniao do Chabad, vc sabe do que estou falando). R. Elazar Shach foi o primeiro grande líder judeu a criticar abertamente Schneerson e Chabad sobre o fervor messiânico. Schach repetidamente e amargamente atacou Schneerson e seus seguidores sobre uma série de questões, entre elas o messianismo, descrevendo o próprio Schneerson como "insano", um "infiel" e um "falso messias". (Nota da Esther: eu jah falei pra vcs no outro post que rabinos ISRAELENSES nao possuem muito filtro na lingua qdo comecam a criticar o messianismo do Chabad). Quando certos elementos do Chabad realmente identificaram Schneerson como o possível Messias, R. Elazar Shach defendeu um boicote total do Chabad, boicotando todas as instituições e projetos Lubavitch. Apontando para uma afirmação de Schneerson em uma passagem que trata principalmente de seu predecessor que um rebbe é "a Essência e o Ser [Deus] colocado em um corpo", Schach chamou tal passagem de nada mais, nada menos que Avodah Zara. Seus seguidores se recusaram a comer carne abatida pelo shochetim Lubavich ou a reconhecer Chabad Hasidim como adeptos do judaísmo autêntico.


Faith and Fate: The Story of the Jewish People in the 20th century, Berel Wein, 2001 by Shaar Press. pg. 340

The Messiah of Brooklyn: Understanding Lubavitch Hasidim Past and Present, M. Avrum Ehrlich, Chapter 10, notes, KTAV Publishing, ISBN 0-88125-836-9

Nota da Esther: Huahauahauaua jah viu que a briga eh feia, certo? Manas e manos, rabinos israelenses sao em sua maioria 100% contra o messianismo do Chabad e nao colocam filtros na lingua ao critica-los. Como disse em outro post sobre este mesmo tema, rabinos americanos e europeus sao bem educados ao discordar dessa coisa de 'moshiach now', mas rabinos israelenses... uau... nao possuem papas na lingua. Agora deixa eu explicar exatamente pq coloquei a palavra LITUANO em negrito.


Lituano = intelectualidade = muito cerebro e pouco sentimento, lidem com isso

Judeus ashkenazitas nao-hassidicos que seguem o "estilo de pensar" lituano (originarios da Lituania, Belarus, Ucrania, Latvia e do nordeste da Polonia) sao popularmente chamados de litvaks (nome proprio para pessoas originarias da Lituania), litvish (adjetivo yidish) ou litaim (hebraico para lituano). Mas... na linguagem do povao, hoje em dia qqr judeu ortodoxo nao-hassidico eh em algum momento chamado de litaim, digamos assim, independente se seus antepassados sao lituanos ou nao.


Litaim dao a maior valia ao ESTUDO do Talmud e a discussao de textos diversos (discussoes cerradas, eh interessante de ver), sempre enfatisando o lado intelectual da teologia judaica. Sim, eh divicil manter a conversa com um litvak pq se a gente falar uma bobagem e nao der a referencia... uau... eles vao te desmentir na cara dura.

Hoje em dia esse lado intelectual do Judaismo estah em BAIXA porque a comunidade litvak foi quase que totalmente destruida durante o Holocausto.

Litvaks eram 100% contra o hassidismo pelo simples fato de que os primeiros hassidim (nao os lideres, mas o povao mesmo) nao estudava, eram levados pela emocao e tratavam seus rebes como se eles nao fossem humanos, mas semi-deuses. Entre a Torah e o seu rebbe, o bom hassid seguirah o que seu rebbe disser... e a Torah? Well... muitos hassidim deixam a Torah de lado, essa eh a verdade. A palavra de seus rebes eh mais importante que a Torah. E falo mesmo, porque essa eh a verdade.


Sim, como vcs devem ter percebido, eu admiro, estudo e sigo o jeito lituano de pensar.


No seculo 19, litaim liderados pelo Gaon de Vilna e os primeiros hassidim tiveram desavencas enormes. Algumas dessa desavencas, infelizmente, sairam da agressao verbal e foram para o lado fisico, causando fatalidades de ambos os lados. Por causa dessa briga toda ocorrida 200 anos atras (o hassidismo eh coisa NOVA no Judaismo, saibam disso), os hassidim chamaram os litvaks de MITNAGDIM, que significa, OPOSITORES ferrenhos.


O tempo passou... as brigas se apaziguaram... o dialogo surgiu. Hoje, seculo 21, litvaks e hassidim mantem um relacionamento diplomatico e ateh mesmo amigavel, digamos assim. Nao existe mais o conceito de ser um "mitnagdim" e pessoas que usam este termo hoje em dia para descrever judeus nao-hassidicos sao simplesmente pessoas ignorantes.



Rabino Zev Leff

Ao ser perguntado se o Rebe Lubavitcher é o Mashiach, Rabino Leff respondeu: "O Rebe de Lubavitch já não está vivo. O Rambam diz muito claramente que se alguém diz ser Mashiach e ele morrer antes de construir o Templo e levar todos os judeus de volta para Eretz Israel, então está claro que ele não era o Mashiach, de acordo com o Rambam, o Rebe de Lubavitch não pode ser Mashiach ... Além disso, mesmo se as pessoas alegam ter encontrado fontes que parecem dizer que Mashiach pode ser alguém que morreu e voltará dos mortos para se tornar Mashiach, estas fontes estao sendo deturpadas, simplesmente porque por 2.000 anos uma de nossas objeções ao Cristianismo eh o conceito de um Moshiach morto que voltarah para ser ser Messias, e isso não é um conceito Judaico."


R. Leff foi perguntado sobre o seguinte: "Pode-se comer em um restaurante casher cujo proprietário sente que o Rebe Lubavitcher é o moshiach? Além disso, é permitido para uma pessoa rezar em uma sinagoga onde a maioria dos congregantes sentem que o Rebbe zt"l é moshiach, e talvez participar na recitação de Yechi?" R. Leff respondeu: "Quanto ao restaurante, (comer lah) realmente depende de quem dah a supervisão de cashrut e se tal supervisão eh confiável. Mesmo se o proprietário (do restaurante) não é judeu (contanto que o restaurante tenha hashgacha - selo de cashrut, pode-se comer lah), por isso se ele (o dono do restaurante) é judeu e tem idéias erradas sobre Yiddishkeit (modo de vida judaico religioso), você pode comer naquele restaurante. Por outro lado, quanto a rezar em uma sinagoga onde a maioria (dos congregantes) tem idéias tortuosas sobre Yiddishkeit e recitar coisas que não têm lugar dentro da liturgia judaica (como o tal Yechi), eh melhor não rezar em uma sinagoga assim. "



Nao vou traduzir TODAS as opinioes, ok? Se vc tiver a fim de ler mais, eh soh clicar nesse link e nos numeros pequenos ao lado de cada citacao para ver as referencias: https://en.wikipedia.org/w/index.php?title=Chabad_messianism&oldid=559790772#Haredi_response


Entao eh isso ai, se vc quer seguir o modo de vida Lubavitch, siga, mas procure se afastar de messianistas-hardcore pq eles sao o "facepalm" do movimento.


Kol tuv,
Esther

Posts Destacados
Procure por Tags

© 2015 por Vida Pratica.