© 2015 por Vida Pratica.  

Convertidos Sofrem Preconceito?

Convertidos ao Judaismo sofrem preconceito?

 

Vamos falar disso abertamente, de maneira direta e precisa, mas antes, tenho que esclarecer alguns detalhes: 

 

1. todos os meus comentarios se referem a convertidos ortodoxos e ortodoxos modernos (NAO HA CONVERSAO ORTODOXA MODERNA NO BRASIL!!!!! ACORDA, CAMBADA!!!! JAH FALEI ISSO 1000 VEZES E TEM GENTE QUE AINDA SE ILUDEM COM GOLPISTAS!!!! CONVERSAO ORTODOXA MODERNA SOH NA AMERICA DO NORTE, QUE POSSUI AVAL DA RABANUT E EM ISRAEL) 

 

2.  todos os nomes usados no post sao ficticios p/ proteger a identidade dos mencionados

 

3. mantenha em mente o seguinte ditado Ladino: "El oro fino arrelumbra" (traduzindo: 'o ouro fino brilha', ou seja, uma pessoa de boa natureza revela seu valor verdadeiro).

 

 

Mas o que eh um convertido??

Usamos as palavras 'conversao', 'convertido(a)' por pura preguica e conveniencia, verdade seja dita. Nao existe tal termo na Torah. Em Ingles, a palavra eh 'convert', que eh beeeem mais facil de falar do que cooonn-veeeerrrr-tiiiiiiii-dooooooooo huahauaau 

 

Mas nem convert, nem convertido, o que somos realmente de acordo com a Torah eh GER (termo usado para homens) e GEYORES (termo usado para mulheres) que significa simplesmente: estrangeiro e estrangeira.

 

Pq estrangeiro(a)? Pq realmente sentimos na pele o que Moises falou "sou um estranho em terra estranha" por um boooooooooom tempo. Mas depois passa e nos misturamos no povao ateh que... EVAPORAMOS! Sim, eh isso mesmo. 

 

 

Como assim?

Sabe aquele americano-tio-sam que chega no Brasil todo empolgado vestido com uma camisa florida Hawaii 5.0, shorts, meia branca ateh no meio da batata da perna, chapeu de Indiana Jones beige claro e falando GIRIAS (GIRIAS!!!!!!!) em Portugues com sotaque fortissimo, se achando mais brazuka que todos nos?

 

Pois eh... de uma maneira figurada, esse eh o candidato a conversao chegando em suas primeiras aulas (huahauahau eh assim mesmo)

 

Agora imagine que este americano ama tanto o Brasil, mas tanto que desistiu de sua cidadania americana e conseguiu cidadania brasileira depois de 2 anos morando no Rio? 

 

Ele pode ter a cidadania, mas ainda usa a camisa havaiana... mas pelo menos, agora que jah mora no Rio ha 2 anos, nao usa mais meia branca na altura da batata da perna. 

 

Lah pro terceiro ano ele comeca a perder o sotaque... que ainda eh carregado, mas pelo menos ele se conscientizou que falar giria eh uma coisa que nao lhe pertence... ainda.

 

No quinto ano como cidadao brasileiro, ele jah comeca a entender nossos partidos politicos.

 

E assim por diante.

 

Qdo ele eh cidadao ha 8, 10 anos... ele simplesmente nao possui mais o sotaque... ele conhece o Brasil tao bem qto qqr brasileiro, sabe mais de Historia do Brasil que a maioria de nossos estudantes, jah trocou a meia branca e Nike pelas chinelas Havaianas... enfim... se ele andar pelas ruas do RJ, ainda vai dar pra perceber alguns leeeeves trejeitos do Tio Sam se focarmos o olhar nele... mas se nao focarmos o olhar, ele simplesmente se perde na multidao.

 

Ele se tornou tao brasileiro que jah nao mais lembra como era sua vida americana... esqueceu dos detalhes da imigracao... nao entende mais pq soh ha 2 partidos politicos fortes nos EUA enqto que ha 10000000002 no Brasil... a persona americana dele, suas insegurancas e medo de 'parecer diferente' evaporaram... o que resta agora eh um cidadao legitimamente brasileiro, por dentro e por fora.   

 

Num sentido figurado, esse americano eh um ger! Um estrangeiro que nao mais simplesmente 'entrou' no povo brasileiro, ele se tornou o povo brasileiro, ele EH o POVO BRASILEIRO.

 

E eh isso que acontece com guerim tzedek que sao seguros de si. Evaporamos e simplesmente nos tornamos parte da multidao que compoe o povo judeu. Caminhanos sua caminhada. Sentimos seus sentimentos porque seus sentimentos agora sao NOSSOS sentimentos. Somos parte do povo. Somos o povo.

 

 

Mas isso soh acontece c/ guerim que se assumem. Guerim que escondem sua identidade no armario estao seeeeempre sendo assombrados pelo fantasma do medo de que descubram que ele tem escondido quem ele realmente eh.

 

Eles tbm se tornam o povo, como os guerim assumidos... soh que eles sempre carregam este fardo nos ombros de constantemente tenta se esconder... bom... vida de armario deve ser bem estressante. 

 

Honestamente, eu respeito a decisao de cada um... mas tenho que dizer que qdo assumimos o que somos, a vida se torna bem mais feliz. E o mais importante: soh pessoas BOAS entram em nosso circulo de amizade. Amizades falsas ficam de fora.

 

Mas repito: cada um, cada um. Cada ger ou geyores tem plena autonomia em como levar sua vida depois de ter concluido a conversao. 

 

 

 

Ooooooooook, voltando ao tema. Entao... guerim sofre preconceito?

 

Ha 2 respostas para esta pergunta e estudaremos ambas em detalhes.

 

- NAO, NAO HA PRECONCEITO ALGUM!! / - SIM, HA PRECONCEITO SIM!!

 

Parece confuso?

 

O negocio eh que o relacionamento entre judeus e convertidos eh bem PESSOAL, entao a resposta para este post tem que ser analizada passo-a-passo. Vamos analisar o caso de que NAO, NAO HA PRECONCEITO ALGUM e depois discutiremos o segundo caso:

 

 

- PRECONCEITO? ONDE? NAO HA PRECONCEITO NENHUM!

 

Pois eh, eu concordo com essa premissa. Se o candidato estiver dentro dos parametros corretos, jamais sofrerah preconceito. Quais sao os parametros corretos?

 

a) Estar na comunidade certa 

Nao eh legal ser um convertido-nao-hassidico e morar em um bairro hassidico... nao eh legal ser um convertido-nao-haredi-que-apoia-o-exercito-israelense e tentar se infiltrar em uma sinagoga haredi que repudia o Estado de Israel, nao dah p/ ser um guer-que-acha-que-a-humildade-eh-importante e fazer parte de uma comunidade elitista e vice-vesa...

 

Entendeu a nuance da situacao?

 

Um convertido deve morar em um bairro judaico e se tornar membro de uma sinagoga que tenha a mesma linha de pensamento que ele acredita e pratique o Judaismo de uma forma que ele concorde

 

Estando na comunidade certa, o convertido simplesmente se "misturarah" a galera daquela comunidade e serah muuuuuuuuito bem sucedido em sua vida judaica.  

 

 

b) Acreditar nos valores da comunidade

Se o convertido acredita nos valores e costumes (moral, tradicoes, vestimenta, modo de agir etc.) da comunidade que frequenta e os pratica com amor e dedicacao, sua vida judaica seguirah de vento em popa!

 

 

c) Estudar, estudar, estudar SEMPRE!

Se o convertido se recusar a cair na estagnacao, ou seja, se mesmo depois da conversao ele continuar estudando e aprendendo Judaismo (historias, halachot, teologia judaica etc.) ele ganharah grande respeito na comunidade onde mora.

 

 

d) Personalidade

Entao... se o convertido tiver uma personalidade amigavel, for seguro de si, tiver bom humor, souber contar piadas decentes, eh uma pessoa justa etc, etc, etc, entao o entrosamento dele na comunidade (bairro e sinagoga) serah muito facil e em tempo recorde ele estarah super envolvido com a galera... tudo de uma maneira muito suave e natural.  

 

 

e) Dinheiro

Sim, meninos e meninas... se o convertido for um "rapaz latino americano, sem dinheiro no banco, sem parentes importantes e vindo do interior" ele vai ter que estudar bastante (mas MUITO MESMO!!!!!!) p/ compensar sua falta de "parentes importantes" hahahahahahahahahahah  :D

 

Quando digo 'estudar', me refiro a estudar Judaismo... pois esta eh uma religiao que prima pelo conhecimento. Em uma comunidade ortodoxa, uma pessoa sabia vale mais que uma rica, acreditem ou nao. Entao um convertido que manja, mas manja muito de Judaismo fica "pareo-a-pareo" (minha mae usava essa expressao... significa mais ou menos... de igual p/ igual) com uma Ivanka Trump da vida (estou falando de respeito, nao de bajulacao).

 

Quem eh Ivanka Trump? Simplesmente uma empresaria de muito sucesso que acontece de ser a filha do multi-bilionario Presidente dos EUA, Donald Trump. 

 

Ivanka se converteu ao Judaismo (Modern Orthodox) alguns anos atras apos seu casamento com Jared Kushner... eh tanto dinheiro envolvido na familia dela e do marido que eu tenho 99.9999999999% de certeza de que ninguem jamais se meteu a besta com ela na sinagoga que frequentam e se ela chegar em Sampa (Sao Paulo), serah super bem vinda onde quer que queira entrar. 

 

Mas se vc nao eh filho de bilionario, entao VAH LER UM LIVRO (literalmente)! Eh isso mesmo. Adquira conhecimento e seja um judeu por opcao muito feliz e se sentindo parte ATIVA de uma comunidade   : )

 

 

f) Ser uma pessoa natural

Sim, sim, sim. Naturalidade eh tudo. Falo por experiencia propria e pela experiencia de outros.

Convertidos que se comportam de uma maneira natural, assumem sua identidade judaica com um sorriso no rosto, falam amorosa e respeitosamente de sua familia nao-judia e levam a vida com bom humor nao sao atormentados pelas "sombras do preconceito". E se por algum acaso do destino, um individuo isolado lhe tratar com desdem, o guer simplesmente nao vai ligar (na verdade enche a paciencia qdo encontramos um personagem assim, mas... com o tempo aprendemos a dar respostas apropriadas a estes personagens singulares).

 

 

Ok, ficou mais relax, certo?

 

 

 

Agora vamos falar do lado negro da força:

 

 

 

 

SIM, HA PRECONCEITO, PRECONCEITO EVERYWHERE!!!!

 

a) Fazer parte da comunidade errada

 

AAAAAAAAAAAAAHHHHHHHHHHHHHHHHH!!!!  D:

 

Nem os fortes sobrevivem a esta situacao!!!! Nem os fortes!!!!! Fazer parte da comunidade errada eh como viver no proprio inferno aqui na terra... e ser consumido INTERNAMENTE... de maneira lenta... todos os dias......... todos... os... santos.... diaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaassss   D:

 

Se o convertido for parar em uma comunidade que nao bate com as ideias dele, entao o preconceito virah. E virah grande.  

 

Exemplos:

- convertido gosta de tecnologia e vai morar numa comunidade que condena internet

- convertida nao quer cobrir os cabelos depois de casada e vai morar numa comunidade onde esta regra eh mandatoria

- convertido curte roupas coloridas (cores quentes) e vai morar numa comunidade que soh veste preto/branco/azul escuro/marrom/beige e cinza (cores neutras ou frias)...

 

 

b) Nao acreditar nos valores da comunidade

A comunidade nao curte animais de estimacao (algumas proibem mesmo) e o convertido quer um cachorrinho p/ dar de presente ao filho para que os dois possam passear com o cachorro nas ruas do bairro... uau... uaaaaau.... tipo assim........ se uma coisa dessas acontece, eu nao quero nem imaginar o tamanho do "gelo" que a comunidade vai dar nesse individuo... e as indiretas (e diretas) para que ele se livre do cachorro serao tantas que.... uau...  

 

E esse exemplo do cachorro foi soh um exemplo simples. O candidato a conversao (que ainda estah no processo) tem que estudar muito bem onde exatamente estah se metendo, pois nao partilhar dos valores da comunidade eh uma infracao GRAVISSIMA e que trarah consequencias bem dolorosas aos guerim, seus conjuges e filhos...

 

 

c) Parar de estudar e se estagnar

Entao o curso de conversao acabou, a ultima entrevista com o beit din foi feita e a conversao foi efetuada com sucesso! 

 

Nao ha mais classes.

 

Nao ha mais entrevistas com rabinos.

 

Nao ha mais professores e seus discursos.

 

Ferias? 

 

Se o convertido pensa que qdo acaba o curso, ele pode parar de estudar pois viverah feliz e saudavel c/ o conteudo aprendido e jamais terah que pesquisar mais nenhum assunto referente a Judaismo... uau... ele ficarah sempre a merce dos outros que sabem mais que ele.... e ficar sempre a merce do conhecimento dos outros eh um mal sinal... mostra que o convertido eh ignorante... que sempre foi e sempre serah ignorante... e como um convertido ignorante, deve ser deixado de lado, ninguem vai dar ouvidos ao que ele tem a dizer... e a situacao pode chegar ao cumulo de que esse convertido que se estagnou pode comecar a ser visto como "alguem que a gente ouve soh por doh, deixa o cara falar e nao preste atencao no que ele tah falando, eh um coitado, um nebach (um 'zeh maneh s/ rumo na vida' em Yidish)..."

 

Eh obvio que ninguem vai te chamar de nebach na tua cara, mas...

 

Sentiu o drama? Se o guer estagnou, fica pra tras e ninguem vai lah p/ ajudar... eu jah vi convertidos se estagnando........ eh uma cena triste e nao dah pra ajudar pq eh a pessoa que tem que ajudar a si mesma.... eu posso indicar um site ou um livro, mas eh a pessoa que tem que le-lo... assim sendo, convertido que param de aprender acabam conhecendo o preconceito sim.

 

Imaginem que a conversao eh como um CASAMENTO.

 

Agora imaginem o que acontece se depois da festa de casamento (ato da conversao) o casal desiste de dialogar, de conhecer um ao outro, de incentivar, de questionar, de dividir... o que acontecerah com este casamento estagnado? Pois eh... quem eh casado ai sabe como eh. Nao dah p/ tratar o conjuge com desdem e querer que ele(a) te valorize, certo?

 

 

d) Personalidade

Eu vejo isso o tempo todo...

 

Marina e Mariana querem se converter. As duas passam pelo mesmo processo, recebem as mesmas licoes dos mesmos professores, terminam o curso ao mesmo tempo e se convertem no mesmo dia!

 

Marina faz amigos na sinagoga, casa, eh convidada p/ festas, se envolve, tem filhos que se tornam populares na comunidade, eh admirada e elogiada o tempo todo, dah aulas, etc, etc, etc. Marina eh uma judia feliz! 

 

Mariana, por outro lado, nao consegue fazer amigos... ainda eh solteira... ninguem lhe sugere modos de integracao na comunidade... ela se isola... e eh isolada... e fica sempre no canto... sozinha... Mariana se tornou uma judia infeliz.

 

A diferenca entre as 2 pode estar simplesmente no fato de que Marina eh sorridente e segura de si e Mariana eh super fechada e timida...

 

Sinagoga NAO eh igreja. Judeus nao possuem espirito missionario. Pq to falando isso? Pq em uma igreja, Mariana (a timida) receberia incentivos e ajuda p/ sair de sua "ostra".... mas em uma sinagoga, ela nao receberah, ela terah que sair da ostra sozinha. Vai ter ateh uma pessoa ou outra que falam com ela, mas se Mariana nao mudar sua atitude e ficar na dependencia da misecordia alheia, ela ficarah realmente isolada... 

 

Na verdade eu conheci duas "Marianas" nestes ultimos 10 anos... uma se tornou hardcore e a outra mudou p/ o meio da floresta....

 

Nao to brincando, foi isso mesmo que aconteceu.

 

Uma delas tinha a personalidade tao timida que para sair do 'anonimato' decidiu se tornar a convertida mais hardcore (julgadora e opressora de outros guerim) e mal educada que eu conheci... tipo... ela queria ser mais exigente na halacha do que os haredim... e falava todas as suas ideias em voz alta e obviamente chamava de "goy" e "shiksa" ateh as criancas atravessando a rua... simplesmente era uma coisa ridicula de se ver e ouvir... mas foi o ultimo "tiro de desespero" dela p/ conseguir fazer amigos.

 

Funcionou? Nao exatamente... como ela se tornou tao hardcore em halacha, com certeza algumas mulheres a respeitam... mas nao criam lacos de amizade verdadeiros com ela... nem sei se dah pra chamar de amizade... eh um tratamento de respeito-cordial, digamos assim. Cortei contato c/ ela pois tenho mais o que fazer da minha vida. Nao posso salvar ninguem. Ela ainda continua hardcore... e mais isolada que antes (qdo a idade chega, tipo... a gente passa dos 40, a vida muda bastante... se preparem).

 

A outra jovem que conheci era tao timida que chegava a incomodar.... dai na tentativa de cortar a timidez, ela se tornava arrogante. E no final de tudo ela casou e hoje em dia mora em um bairro bem isolado, perto de uma das florestas mesmo. Nao, nao ha sinagoga onde eles moram...

 

O que me deixa realmente triste nesta segunda situacao eh que a garota tinha potencial! Tava seguindo tudo direitinho, estudava, discutia Judaismo de maneira inteligente mas... nao conseguiu vencer sua propria timidez... talvez em outra comunidade ela teria se saido melhor? Quem sabe... Mas hoje em dia, acho que se lhe perguntassem se ha preconceito contra convertidos, ela diria que sim...

 

Viu como cada caso eh um caso? Conversao e preconceito eh um assunto que toma um rumo bem pessoal.

 

 

e) Dinheiro

Como deixei claro acima, se nao tem dinheiro, o convertido tem que estudar e brilhar em palavras e atitudes

 

Agora... se ele nao estuda, for timido, estiver na comunidade errada e s/ um tostao no banco... well... jah viu, neh? Reclamarah de preconceito pelo resto da vida e serah um judeu infeliz.

 

 

Brasil: eu nao sei como funciona em nosso pais pois nunca me envolvi com a comunidade judaica brasileira. Nao tenho a MINIMA IDEIA de como eh a vida de convertidos ortodoxos brasileiros. Nao sei se sofrem preconceito, se nao sofrem, se o fator economico afeta o envolvimento deles na comunidade onde moram ou se nao afeta em nada... simplesmente NAO SEI. 

 

Mas qdo o assunto eh comunidade judaica FORA do Brasil, entao posso falar bem pq conheco a realidade de judeus israelenses, norte americanos e europeus de perto... e a realidade por aqui eh uma soh: a maioria dos ortodoxos NAO tem dinheiro. E jogo a verdade logo na mesa s/ muita cerimonia. Nao tem mesmo. 

 

Pode ter um ortodoxo aqui e ali que se sucedeu em alguma profissao licita ou ilicita, mas no geral, a maioria da massa ortodoxa (escolas, individuos, organizacoes) dependem de programas do governo e tzedaka (caridade), p/ viver uma vida mais decente ou em casos mais extremos, p/ se alimentar. 

 

Eh dose. Mas eh a verdade.

 

 

f) Tentar ser mais judeu que os judeus

AAAAAAAAAAAAAAAAAAAHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH  D: 

E eh ai que muitos tropecam... e caem... e sao tidos como ridiculos (ninguem fala na cara, obviamente)... poderia falar bastante sobre esse tipo de convertido, mas vou parar por aqui pois eles jah sofrem o suficiente. E O PIOR: um dia a mascara cai.

 

 

LEMBRA DO DITADO LADINO?

Pois eh... um judeu por opcao tem que se construir de maneira positiva todos os dias.

 

 

 

EPISODIOS ISOLADOS

Ha episodios isolados de preconceito sim e eles surpreendem todos os judeus por opcao, sejam eles bons ou maus, em algum momento. O negocio eh dar um sorriso de lado e dar a volta por cima. Pessoas que fazem isso sao ignorantes, entao o negocio eh ensina-las educadamente ou simplesmente deixa-las falando sozinhas.

 

 

 

OS BONS PAGAM PELOS MAUS

Os bons, nao importa quao bons, pagam pelos maus. 

 

Se vc eh guer, faca a coisa certa mesmo que vc nao queira, pois sua atitude trarah grandes consequencias a todos os guerim do mundo e futuros candidatos a conversao.

 

Lishma, lo lishma, lembra? Entao vai de lo lishma ateh que ela se transforme em lishma. Vale a pena seguir este conceito nao soh pelo seu desenvolvimento espiritual, mas pela responsabilidade que temos uns sobre os outros.

 

Minha sponsor da epoca em que me converti, Rebbetzin Kaganoff, disse que nunca mais iria sponsorar ninguem ateh que me conheceu e de uma maneira que ela nao podia entender, se viu "enrolada" em minha historia (hahahah nem eu conseguir entender, mas tudo bem, jah passou). Pq? Pq a ultima mulher que ela sponsorou deu um mal exemplo que ficou para a historia. A rebbetzin se sentiu tao traida que desistiu de se envolver com futuras candidatas. 

 

Agora... eu nao consigo nem pensar o que teria sido de minha vida sem as instrucoes e AJUDA da R. Kaganoff. Simplesmente nao sei. Mas de um jeito ou de outro, nos entendemos e ela viu que ainda ha guerim sinceros neste mundo. 

 

Meu ponto aqui eh: o mau comportamento de uma geyores que eu nem conheco quase que causou um "efeito borboleta" negativo em minha vida. Quase perdi minha sponsor pela acao de outra pessoa.

 

Guerim, uni-vos em dar bons exemplos, ok? Sponsors sao RAROS de encontrar, entao... que nosso estilo de vida voltado para a Torah e mitzvot encoraje judeus e judias a iniciar dialogo com candidatos(as) sinceros(as).

 

 

Guerim de destaque:

 

- Yisrael Campbell que se converteu 3 vezes e virou... well... comediante: https://www.youtube.com/watch?v=e0miQsmj6TE 

 

 

- Ahuva Gray, de pastora a judia observante de Torah e mitzvot: https://www.youtube.com/watch?v=GCkeIBlWrpQ

 

 

- Dr. Aharon Abraham - que nasceu num lar hindu e teve um acordar espiritual bem semelhante a Avraham Avinu: https://www.youtube.com/watch?v=1p2sN-MeWas

 

 

- Aaron Waldman - que deixou a China para abracar o Judaismo em Israel: https://www.youtube.com/watch?v=tmiROL6uJtc

 

 

- Rabino Moshe Hattori - diretamente do Japao para uma vida judaica em Jerusalem: https://www.youtube.com/watch?v=RPLsmwEbEjk

 

 

Estes guerim nao sabem o que eh preconceito, pois assumem quem sao e vivem uma vida feliz pois estao certos da decisao que tomaram. Mesmo que sofram episodios isolados vindos de individuos ignorantes isolados, tais episodios NAO representam a vida compromissada com a Torah que eles possuem e nao ofuscam a admiracao que eles espontaneamente recebem de todo klal Israel.

 

 

Kol tuv,

 

 

 

 

Esther

 

Please reload

Posts Destacados

O Que é um Rabino? O Que é Semicha?

October 21, 2018

1/10
Please reload

Procure por Tags