Restaurantes Vegetarianos São Casher?



Fiz a seguinte enquete no Facebook: Um judeu ou judia que só come comida casher pode comer em um restaurante vegetariano (que não possui supervisão de um mashgiach)?


A enquete recebeu 146 votos. 33 – Sim

113 – Não


E a resposta correta é: Não.


Um judeu ou judia que seguem uma dieta 100% casher não pode comer em um restaurante vegetariano (ou vegano).


Por quê? Não vou enrolar e dar longas introduções sobre o que é cashrut porque se você se interessa por este assunto, você já deve saber o significado da palavra casher, certo? Sendo assim, vamos direto aos fatos usando fontes que traduzi dos sites www.ou.org, www.star-k.org, www.cor.ca, www.ok.org, www.nishmat.net e www.yeshiva.co.




TOLAYIM (insetos/besouros)

É uma proibição da Torá comer insetos e besouros. Certamente há tipos de gafanhotos que podem ser considerados casher, mas é necessário conversar com um Rabino para saber detalhes.


Um besouro ou inseto, por menor que seja, causa problemas sérios de cashrut (Talmud Makkos 13a).


A mitzvah de não comer tolayim é válida para homens e mulheres em todos os lugares e em qualquer época (Talmud, tratados Chulin 67a-b, Makkos 13a e 16b. Shulchan Aruch - Yoreh Deah 83 and 84. No Sefer Hamitzvot do Rambam esta proibição é o de número 178 entre as 365 mitzvot negativas).


Tão grave é a proibição de comer qualquer tolayim que, muitas vezes, o consumo de um único inseto é uma violação simultânea de múltiplas proibições. [Makkot 16b]. Mesmo os vermes que são tecnicamente autorizados a serem comidos devem ser evitados, pois eles dizem causar danos físicos e espirituais. [Shabbat 90a].


É interessante notar que a Torá só proíbe insetos que são visíveis a olho nu. [Y.D. 84: 4] Os insetos que são visíveis através de um microscópio podem ser consumidos no curso normal de comer. [Aruch Hashulchan Y.D. 84:36, Igrot Moshe Y.D. 2: 146].


Insetos... um problema enorme. Restaurantes vegetarianos e veganos não limpam os produtos de uma maneira que os tornaria aceitáveis ​​para o consumo na perspectiva da lei judaica. Figos? Esquece... dependendo do fornecedor, é tão difícil de tirar os tolayim de figos que é melhor evitar. Morangos? Nem restaurantes casher gostam de servir morangos devido aos constantes problemas de infestações e o tempo enorme que leva para limpá-los de tolayim.


Quando eu orgulhosamente disse a um amigo hassidico que era vegetariana, ele riu e me respondeu que a proibicão de comer insetos é mencionada 6 vezes na Torá (Vayikra 11), enquanto que a proibição de comer carne de porco só é mencionada uma única vez... sendo assim, comer tolayim é 6 vezes pior do que comer carne de porco.


O grau de infestações em grãos, frutas, verduras e legumes variam de região, fornecedores e estações do ano. As vezes acontece que a agência que controla a cashrut de uma cidade proíbe uma certa fruta devido ao alto grau de infestação, mas a agência de outra cidade o permite porque possuem um fornecedor diferente.




VINHO NÃO CASHER (e derivados da uva)

Vinho e suco de uva têm um status especial no ritual judaico e, como tal, todo o processo de fazer vinhos ou suco de uva deve ser feito por pessoas de fé judaica (ou seja, esmagamento de uvas, prensagem, transferência de tanques e testes). O vinagre balsâmico, por exemplo, é feito com suco de uva, portanto ele requer uma certificação de cashrut. Qualquer tipo de vinagre ou tempero feito com vinho, suco de uva ou derivados da uva necessitam de uma certificação de cashrut. Restaurantes veganos e vegetarianos, claro, não possuem restrições quando se trata de vinho, suco de uva e seus derivados.




BISHUL YISRAEL

Bishul Yisrael é um preceito haláchico que requer o envolvimento de um judeu mo preparo de alimentos que seriam "adequados para a mesa de um rei" (oleh al shulchan melachim), o que significa que tal alimente não pode ser comido cru, isso inclui muitos vegetais como batatas e berinjelas que tradicionalmente não são comidas cruas. Em restaurantes casher que possuem cozinheiros não judeus, o envolvimento judaico no processo de preparo de alimentos geralmente é realizado pelo mashgiach (supervisor de cashrut), que acende o fogo de fogões e fornos pessoalmente.

Nos restaurantes vegetarianos e veganos, este requisito está ausente.




MARGARINA

A margarina derivada de leite, por exemplo, pode conter até 2% de gorduras animal, o que causa um problemão haláchico. Um judeu que mantém as leis de cashrut só come margarinas com hechsher (selo de cashrut).




EQUIPAMENTO

A comida não é a única coisa que pode ser considerada casher ou não casher dentro de uma cozinha: utensílios, pratos, panelas, fornos, pias etc. também ser considerados casher ou não.


Para ser considerado casher, pratos, talheres e todos os objetos utilizados na preparação (cozinhar, assar, grelhar, fritar etc) e no servir de alimentos necessitam de casherização.


É também possível que produtos industrializados servidos em restaurantes vegetarianos tenham sido fabricados com equipamentos não-casher, o que consequentemente, tornam tais produtos treif (yidish para não casher).


Além disso, em um ambiente de restaurante, se os pratos, talheres, utensílios e outros não foram comprados novos (por exemplo, foram comprados de antiquarios ou foram comprados de outro restaurante), eles podem ter sido usados no passado ​​com alimentos quentes não casher, assim tornando qualquer alimento quente que os toque também não casher também.


Cuidado com queijos não casher que são servidos em restaurantes vegetarianos...se o queijo foi servido quente, o prato absorveu o gosto do queijo e tudo o mais o que for servido quente neste prato causa problemas de cashrut.


Nota: taam (gosto, em hebraico) de carne e leite só pode ser transferido com calor. Assim sendo, se carne quente for servida em um prato de cerâmica, por exemplo, aquele prato absorveu o sabor da carne. Se a carne era casher, ótimo. Mas se a carne não era casher, o prato é treif e qualquer alimento quente que seja colocado sobre aquele prato também se torna treif. O mesmo é valido para produtos lácteos.


Nota2: no caso de um restaurante vegetariano que por algum motivo comprou pratos usados, a LAVADORA DE PRATOS utiliza água quente, e desta forma, se pratos com derivados de leite e carne foram colocados na mesma lavadora pelo antigo dono dos pratos, a lavadora se torna treif e tudo o que for lavado por ela, também. Sendo assim, os pratos usados já chegam treif (não casher) no restaurante novo.




MARIT AYIN (evitar fazer algo que possa levantar suspeita de que alguém violou a halacha, ou que alguém interprete mal, fazendo com que a pessoa que viu e interpretou mal venha a violar a halacha, para uma explicação completa, clique aqui)


Mar'it Ayin é uma proibição rabínica contra fazer coisas que parecem quebrar a halacha. O motivo da proibição é que alguém que vê você fazendo algo que aparenta quebrar a halacha pode assumir que você está fazendo algo proibido.


Uma pessoa religiosa precisa satisfazer as expectativas da sociedade assim como elas precisam satisfazer as expectativas de Deus (Mishnah Shekalim, Cap. 3, 2).


Podemos também acrescentar que, se a pessoa é conhecida como um judeu observante da halacha, há um elemento de chillul Hashem, profanação do Nome de Deus, fazendo algo que parece proibido.


Pela proibição de marit ayim, nós evitamos até mesmo entrar em restaurantes não casher, mesmo que ele sirva algo que seja considerado casher.


Explicando melhor: se um judeu observante da halacha entra em um restaurante não casher e senta-se a mesa, e então um judeu ou judia que passa na rua e o vê pela janela pensa "se é ok pra ele comer aí, então é ok pra mim também".



Mal sabe o judeu que passou pela rua que o judeu observante da halacha não comeu nada, estava ali somente para uma reunião de negócios ou esperando alguém ou para dar ou enviar uma mensagem ou até mesmo porque estava esperando a fila do banheiro... na prática, amigos...tudo pode acontecer.


Por isso, para evitar marit ayim, procuramos até mesmo evitar entrar em restaurantes não casher, sempre que for possível.





CAFÉ E CHÁ

O café puro é casher... mas café aromatizado precisa de certificação de cashrut. Xícaras de cerâmica e porcelana utilizadas em um restaurante não casher servem podem servir cafés aromatizados. Isso pode trazer problemas de cashrut.


Se as xícaras são de segunda mão (foram compradas de outro restaurante não casher, já usadas) então o problema aumenta, porque a xícara que serviu café com leite foi colocada na mesma lavadora de pratos que lavou pratos com resíduos de carne treif.


Se você precisar beber café puro no Starbucks, por exemplo, peça por copos descartáveis. Na verdade há todo um shiur sobre Starbucks... há vários produtos casher nesta rede, então há de se levar em consideração os utensílios em que os produtos são preparados, já que alguns Starbucks são tipo um mini restaurante... e a mesma lavadora de pratos que lavou talheres com resquícios de sanduíche de presunto (hauahua) e vários pratos/containers que serviram produtos não casher vai lavar as xícaras que expressos serão servidos, assim como utensílios diversos. Se vc estiver interessado(a) sobre cashrut dentro de um Starbucks (pois é comum vermos judeus ortodoxos comprando seus cafés lá devido a popularidade dos produtos da Starbucks que são casher), há vasta literatura em inglês, feitas por agências de cashrut, como esta: http://www.crcweb.org/starbucks_overview.php




E EM CASOS DE URGÊNCIA?

Se você estiver faminto, longe de qualquer estabelecimento casher, longe de qualquer supermercado que venda produtos casher (frutas e produtos industrializados que estejam na lista de produtos casher ou tenham hechsher)... então LIGUE PARA UM RABINO para saber o que fazer nesta situação. Ele te aconselhará corretamente, te explicando todos os detalhes que você precisa saber para não desmaiar de fome, se há somente um restaurante vegetariano que poderia - em teoria melodramática - salvar a sua vida!


Mas é melhor prevenir do que remediar. O viajante casher sempre leva bolachas, chocolate, bolos, barra de cereal e qualquer outro produto seco na bolsa.




ENTÃO NUNCA MAIS IREI A RESTAURANTES COM MEUS AMIGOS?

Você irá sim, mas a restaurantes casher! Huahauauau

Minha missão neste post era trazer fatos. Os trouxe, então agora lhes desejo...





Bon appétit em casa ou em restaurantes casher,





Esther




Posts Destacados
Procure por Tags

© 2015 por Vida Pratica.