top of page

Assédio Sexual à Candidatas a Conversão


É raro, mas pode acontecer. Vamos falar sobre isso hoje.


Você, mulher, deve estar atenta aos sinais que indicam uma armadilha.


Na "hierarquia" judaica, assim como na "hierarquia" de QUALQUER religião, o local mais frágil é o da mulher solteira, jovem e que está disposta a se converter.


Ninguém a conhece, ela não sabe de nada sobre como funciona a sociedade judaica e quais os limites entre contato homem-mulher, ela tem medo de ser rejeitada, ela está impressionável (sujeita a se impressionar com qualquer pessoa que demonstre saber mais que ela), ela se sente solitária, frágil, tem a mente repleta de perguntas e ouvidos abertos para QUALQUER resposta, respeita e admira qualquer um se descreva como uma autoridade religiosa... em resumo, uma mulher assim tem o potencial de se tornar uma vítima de assédio e/ou abuso sexual.


O Que é Assédio Sexual?

Existem diferentes definições legais para assédio sexual em diferentes países e jurisdições, mas a formas mais comuns segundo a Ontario Human Rights Comission incluem:

  • Exigir abraços ou qualquer tipo de contato físico

  • Invadir espaço pessoal

  • Contato físico indesejado

  • Linguagem e / ou comentários depreciativos em relação ao sexo oposto

  • Olhar inadequado

  • Comentários maliciosos relacionados a características físicas da pessoa

  • Exibição ou circulação de pornografia

  • Imagens ou desenhos com conteúdo sexualizado

  • Imagens sexualmente explícitas

  • Piadas sexuais, incluindo a circulação de piadas sexuais escritas (por exemplo, por e-mail)

  • Intimidar uma pessoa espalhando rumores sexuais (incluindo online)

  • Observações sugestivas ou ofensivas ou insinuações sobre intimidade física, abuso verbal relacionado a gênero, ameaças ou insultos vangloriando-se de proezas sexuais, perguntas ou discussões sobre atividades sexuais Quando uma pessoa em posição de responsabilidade faz ameaças de penalizar ou punir a outra pessoa que se recusa a cumprir os avanços sexuais (conhecidos como represália).

  • Convidar alguém repetidamente para ter sexo ou para sair

  • Seguir, controlar uma pessoa

  • Tocar a pessoa para que outros vejam


Estes são somente ALGUNS dos vários exemplos do que pode ser considerado assédio. Vítimas de assédio são geralmente mulheres que estão em uma posição de poder BAIXO dentro de qualquer organização (incluindo ambiente de trabalho) e se sentem vulneráveis.


Quem Faz o Assédio?

REPITO que é RARO acontecer... mas as vezes acontece.


O assédio pode vir de uma autoridade religiosa (rabino ou professor), do marido da sua sponsor (mulher que será sua conselheira durante todo o processo), de um homem qualquer (judeu ou não judeu) que você conheceu pessoalmente ou ONLINE nesses trocentos grupos de "judaísmo paralelo" que existem no Facebook e Whatsapp, etc etc etc.


Em resumo, o assédio pode vir de qualquer homem que julga saber mais do que você, independente se ele é judeu ou se ele é um não-judeu candidato a conversão.


Dia após dia eu vejo o aumento das bizarrices que ocorrem na internet brasileira sob os pretextos de "ensinar Judaísmo". Principalmente nesses grupos de Whatsapp onde QUALQUER OTÁRIO pode se auto-declarar "judeu" (as vezes o otário é judeu mesmo) e se diz capaz de ensinar os outros. Pra mim, isso é uma desgraça.


Além das atrocidades que são "ensinadas", tais grupos permitem que uma pessoa mal intencionada contacte uma vítima em potencial.


Cuidado.


Assédio sexual contra mulheres interessadas em Judaísmo NÃO está limitado a apenas um grupo judaico. O assédio pode acontecer em comunidades liberais e ortodoxas.


Para Quem Reclamar?

A vergonha faz com que a maioria das vítimas se cale. A exposição e o medo de serem eternamente tachadas de "mulheres fáceis" acabam causando o silêncio que protege o criminoso e faz com que o crime continue sendo praticado.


Quando falamos de conversão ao Judaísmo, o medo de denunciar aumenta, pois a comunidade judaica é pequena, o que faz com que a mulher se sinta exposta e com a impressão que aquela história a seguirá para o resto da vida.


Quando há assédio, a candidata a conversão fica com medo de denunciar o assédio e ver seu processo de conversão cancelado. Ou... ela fica com medo de que a história se espalhe e prejudique sua vida dentro da comunidade judaica no futuro. Então ela se cala e se submete ao abuso por mais tempo, muitas vezes até que o abusador encontre outra vítima e a deixe em paz.




Os Casos Que Abalaram a Mídia Judaica:

Leib Tropper e Barry Freundel. Um haredi e um ortodoxo moderno. O mundo judaico parou, em choque, para ler essas histórias.


Esses dois eram (porque pra MIM, não os considero mais) rabinos de diferentes grupos judaicos que tinham uma posição de grande importância na comunidade judaica e que caíram devido ao assédio sexual que cometeram.


Em 2009, Leib Tropper era um rabino haredi, famoso, ultra respeitado na comunidade judaica, extrito ao extremo e líder de uma organização que lidava com conversão chamada Eternal Jewish Family. Ele era o tipo de rabino que não aceitava como válidas conversões feitas por um rabino que acreditasse que o mundo tem mais do que 6000 anos. Tropper brigava para anular conversões de mulheres que seguiam as regras da tziniut.


Haredi, carismático e com ótimos contatos financeiros, Tropper era poderoso e conhecido mundialmente.


A queda dele veio através de denúncias feitas ao extinto BLOG Failed Messiah, onde gravações de uma conversa telefônica entre Tropper e uma candidata a conversão revelaram que ele a estava assediando da forma mais desgraçada possível: ele dizia coisas baixas e horríveis (eu ouvi os áudios) e sugere que iria apresenta-la a outros homens e até mesmo a uma mulher, para contato sexual....caso a candidata a conversão desobedecesse, ele complicaria a vida dela, entenderam? Deixo uma frase da conversa telefônica que foi gravada: "If you fulfill my needs, I'll fulfill yours -- and you need a conversion." (TRADUÇÃO: se você satisfazer as minhas necessidades, eu satisfarei as suas - e você precisa de uma conversão)


Enfim... diz a internet que há vídeos também deste caso, mas eu nunca tive estômago para procurar por eles. Simplesmente não quero ver isso. O caso Tropper abalou o MUNDO, acreditem. 100% de mídias judaicas falaram a respeito e muitos, mas muitos jornais não-judaicos também.


A mulher que denunciou Tropper, depois de MUITO sofrer assédio, decidiu abrir o jogo para um beit din e só então ela foi ajudada. As consequências vieram sobre ela, pois com a exposição do caso, certamente surgiram pessoas que a acusaram de destruir a vida do "pobre rabino".


Final da história: ela se converteu com o beit din ortodoxo que a ajudou e hoje vive uma vida normal (dentro do possível) em uma comunidade judaica dos EUA.


Tropper foi demitido, pediu desculpas publicamente, a organização Eternal Jewish Family fechou definitivamente, foi ordenado por um beit din a se mudar do bairro judaico onde morava em Monsey (no Estado de NY) e se meteu em uma confusão judicial enorme com milionários Thomas Kaplan e seu falecido sobrinho Guma Aguiar.




Barry Freundel, por outro lado, agia de maneira mais sagaz...o assédio dele não era explícito como o de Tropper. Freundel, na época considerado uma grande autoridade rabínica e umas figuras principais no mundo de conversões, fazia um assédio mais difícil de ser detectado.


Primeiramente, Freundel fazia assédio MORAL em algumas de suas candidatas a conversão: ele as mandava fazer trabalhos de escritório gratuitamente, fazia indiretas muito desagradáveis para algumas candidatas candidatas dizendo que ele estava no poder e que elas deveriam obedece-lo (caso quisessem se converter), entre outras ações e palavras que indicavam o assédio ao lado psicológico de uma pessoa.


E onde estava o assédio sexual? Well, well, well................ como Freundel era a maior autoridade em sua região sobre conversões ortodoxas modernas, ele decidiu colocar uma câmera escondida dentro da mikva da sinagoga que ele liderava.


A câmera estava dentro de um rádio relógio que ele insistia em colocar dentro da mikva e foi descoberto em 2014. O crime dele atingiu candidatas a conversão, assim como mulheres judias que utilizavam a mesma mikva. 152 vítimas foram identificadas e Freundel foi preso.


Depois de muita judicial, em 15 de Maio de 2015, Freundel foi sentenciado a 16 anos e meio de prisão, e a pagar uma multa de U$13,000. Na cadeia, ele passa 23 horas do dia em total isolamento, devido as ameaças que recebe de outros presos.




O Que Fazer?

Como vocês podem ver, o assédio sexual a candidatas a conversão pode vir de onde menos esperamos.


Mulheres solteiras, de personalidade frágil, bonitas e vulneráveis devem SEMPRE estar atenta a sinais de alerta... a sinais que indicam que algo não está casher em uma determinada conversa ou ação e PRINCIPALMENTE, elas devem fazer de tudo para se proteger.



Como Se Proteger?


1. Evitando segredos.


Eu me converti duas vezes e posso dizer pra vocês todas: NÃO HÁ SEGREDOS EM UM PROCESSO DE CONVERSÃO AO JUDAÍSMO. Quanto mais segredo, mais coisa errada há.


Não há reuniões secretas em um processo de conversão. Não há "não conte a ninguém, viu?". Quanto mais segredos, mais ASSÉDIO MORAL e SEXUAL podem vir a acontecer.


Uma conversão ao Judaísmo deve ser um processo límpido e transparente, onde TUDO o que acontece no aprendizado, no curso de conversão, no contato com colegas, amigos, sponsors, professores e rabinos pode ser contado a sua família e amigos, sem problema algum.




2. Mantendo as leis de shomer nagyiah:


Não tocar pessoas do sexo oposto


Não ficar, em hipótese alguma, em um ambiente fechado com uma pessoa do sexo oposto com as portas fechadas. Se estiver em uma reunião ou em uma sala com algum homem, a porta deve ficar sempre aberta ou semi-aberta.


Não se ater a conversas ou qualquer forma de contato verbal ou escrito que tenha conteúdo que você se sentiria constrangida se viesse em público




3. Mantenha uma amiga por perto e a ouça

Mulheres protegem mulheres. Se você é uma candidata a conversão, você deve se aproximar das mulheres da comunidade e caso encontre uma amiga sensata, ouça os conselhos dela.



Essas medidas simples podem te ajudar a evitar grandes problemas futuros.





Efeitos do Assédio Sexual

Depressão. Aumento da ansiedade. Stress. Insônia. Desânimo no trabalho e vida social. Isolamento. Ganho ou perda de peso. Cansaço físico e emocional. Perda da confiança em futuros relacionamentos sociais e até mesmo Transtorno de Estresse Pós Traumático (PTSD), entre outros sintomas.





A Fina Linha Que Separa o Assédio e a Admiração Verdadeira

Como uma candidata a conversão vai saber se o homem quer se aproximar dela durante o processo de conversão está realmente apaixonado por ela ou quer simplesmente tirar vantagem?


Situação 1

Traga o assunto a público, ou seja, se você estiver insegura de seus próprios sentimentos (se você gosta do cara, mas não sabe se o que ele faz é assédio ou admiração verdadeira), diga a ele que irá perguntar ao beit din... ao rabino... a uma amiga... aos SEUS PAIS... a opinião deles sobre o que está acontecendo.


Se o homem ficar com medo e pedir segredo, é assédio. Ele não quer nada com você. Se ele disser "sim, vamos perguntar juntos e ouvir o que eles tem a dizer", então a coisa pode ser mais positiva do que parece.



Situação 2

Se o homem fez ou disse algo que te deixa desconfortável, peça para ele parar. Se ele se desculpar e parar, então foi realmente um deslize sem maiores intenções. Se ele não respeitar o seu pedido e continuar te colocando em situações desconfortáveis, ele não te respeita. É assédio moral e/ou assédio sexual.




Estupro: O Golpe da Cura Cabalística

Uau...se até algumas judias caem nessa, eu tenho medo do que pode acontecer no Brasil.......................................


Cabala é o lado místico do Judaísmo. Por ser místico, poucos estão aptos para ensinar. Pouquíssimos, aliás. Se cobrou dinheiro pra ensinar cabala, não é cabalista.