Semichas Duvidosas e Falsos Rabinos

 

No post anterior "O que é Rabino? O que é Semicha? (clique aqui para ler)" expliquei que o mundo das semichot (ordenações rabínicas) é mais complexo do que  você imaginava. Agora vamos dar uma olhada no "porão" do Judaísmo e ver como é o submundo das semichas duvidosas.

 

Nota: a grafia correta é 'semichot', porém como eu escrevo de forma informal propositalmente a fim de afastar qualquer "deslumbração" que alguém possa alimentar a meu respeito, escreverei semichas. 

 

Deixo claro que a maioria das yeshivot (que eu chamo na informalidade de yeshivas) são sérias e exigentes. Porém... como estamos no planeta Terra, as vezes o ser humano tenta dar um "jeitinho" e acaba esculhambando com um sistema que tinha tudo para dar certo. E infelizmente tal "jeitinho" chega até mesmo em yeshivas, como veremos abaixo.

 

A razão deste post é ajudar brasileiros a se livrarem de encostos que chegaram em nosso país e mentem, dizendo serem rabinos quando na realidade não são, isso quando não são não-judeus mentindo que são rabinos... 

 

 

COMO SABER QUEM TEM SEMICHA SÉRIA E QUEM TEM UMA QUESTIONÁVEL?

Eu repito constantemente no meu blog que o CONHECIMENTO é a única moeda corrente no Judaísmo que coloca a todos, ricos, pobres, feios e bonitos no mesmo barco e nos salva de muitos problemas e preocupações desnecessárias. 

 

Não e educado e nem aconselhável perguntar a um rabino que tipo de semicha ele tem. Esta informação é pessoal e ele só deve dá-la em entrevistas de emprego. 

 

Para nós, reles mortais, a única maneira de saber se um rabino em questão tem semicha séria ou duvidosa é nos armarmos com conhecimento. Só assim saberemos se ele está falando abóboras e devemos deixar pra lá ou se ele está nos concedendo jóias preciosas de sabedoria e devemos dedicar mais tempo para aprender com ele. 

 

É óbvio que com o passar dos anos, passamos a conhecer a reputação de certas yeshivas e conectamos o nível de conhecimento de um rabino ao nível de ensino da yeshiva onde ele estudou... mas até isso acontecer, o negócio é COMPRAR LIVROS e ficar atento ao que nos está sendo dito.

 

Outra forma de saber se o rabino é sério ou não é vermos como ele é tratado pela comunidade judaica. Se é respeitado pela comunidade, então tudo bem. Se é desprezado ou deixado de lado...well...fique esperto.    

 

Fora do Brasil rabinos de semicha questionável, assim como falsos rabinos ficam "abaixo do radar", não importunam, ficam na deles. Mas no Brasil... caracas... qqr um que diga "Ei, me chama de rabino aê, meu consagrado" passa a ser chamado de tal, independente se ele é judeu ou não, e ainda tem a moral de cobrar dinheiro pra "ensinar" lorotas e o povo baba pra ver... pelamor galera... vamos ficar mais espertos...SE DÊ O RESPEITO, AMIGO(A)!

 

 

SEMICHA POR DINHEIRO

Sim. Há yeshivas que dão semicha a qualquer um que consiga pagar as mensalidades...não importa se o aluno é forte em seus estudos ou fraco... o importante é que enquanto as mensalidades são pagas, ele tirará a semicha nem que for de um assunto só!!!!

 

E nem vai tirar nota alta na prova... só a satisfatória pra passar mesmo, como um C+ 

 

O maior problema destas yeshivas é que elas diminuem o nível de ensino, a fim de captar mais alunos (despreparados) e que não irão se frustrar, porque a yeshiva não cobra muito deles. É mais ou menos a "solução" encontrada pelo sistema educacional brasileiro: vamos baixar a qualidade de ensino, assim mais pessoas se formam...

 

 

 

SEMICHA POR DÓ

Aí temos que pensar no lado pessoal de quem está dando da semicha... tipo... um Rosh Yeshiva, assim como Rabinos idosos não possuem a malícia que nós, galera jovem zuera da internet possui.

 

Em certas camadas religiosas do Judaísmo, Rabinos não possuem celular, passam longe de Smartphones, nunca viram ou testaram internet, não sabem o que é Netflix, não leêm jornais seculares, não ouvem rádio e vivem estudando, cercado de livros, o máximo de tempo que o corpo permite...

 

Aí chega um indivíduo nesta yeshiva pequena onde o Rosh Yeshiva (líder da yeshiva) é um destes Rabinos que quase não tem contato com o "mundo exterior"... e o indivíduo estuda e tals e pede uma semicha... aí o Rosh Yeshiva o vê tão esperançoso e pensa: "Ele tirou notas boas neste e naquele assunto, mas possui muitas fraquezas... não acho que ele é capacitado a ser um Rabino congregacional, mas... se eu não der a semicha, ele pode desanimar e quem sabe até sair do derech Hashem (caminho religioso)... que mal vai fazer se eu der semicha de um assunto pra ele? Talvez isso o estimule a estudar mais e retornar para se especializar em outros assuntos..."

 

E pronto. Mais uma semicha dada...

 

 

 

SEMICHA ONLINE: HORAS DE ESTUDO SÃO VARIÁVEIS

Esse é o maior problema das semichas online. Estudantes estudam quando dá... não há o rigor que encontramos em yeshivas presenciais. O importante é aprender/decorar as matérias dadas, e o fato de estudar detalhes extra-curriculares para se aprofundar no assunto depende exclusivamente do aluno, não da yeshiva. 

 

O motivo que yeshivas online foram criadas é nobre. A intenção é maravilhosa: capacitar judeus que não tem tempo de estudar em yeshivas presenciais e lhes dar a oportunidade de expandir seus conhecimentos em Torá e mitzvot, assim como ajudar suas comunidades!

 

Eu gosto de yeshivas online, na verdade. Se eu fosse homem, tiraria semicha em uma delas. Porém... há quem tire proveito delas e depois de receber a semicha começa a posar de "grande rabino" frente a pessoas ignorantes, sejam elas judias ou não. 

 

Um amigo de meu marido, que mora em em NY, tirou uma semicha online. Porém ele faz a coisa certa: ele tirou a semicha a fim de aumentar seu conhecimento e fica na dele. Ele é capaz de discutir assuntos complexos, mas de forma alguma ele se coloca na posição de "mestre do bem e do mal" ou "líder supremo de pessoas que sabem menos que ele" ou de posek (legislador, capaz de decidir sobre questões haláchicas complexas). Ele, assim como muitos judeus que tiraram semicha online, vivem suas vidas de forma comum e honesta. 

 

Este amigo do meu marido tem sua profissão secular (não ligada a religião), mas devido a personalidade amigável dele, um Hospital já o convidou para VOLUNTARIAR lá dentro, visitando judeus que gostariam de falar com um Rabino, pois ele é um Rabino.

 

Mas há quem faça diferente... há quem tire semicha online a fim de se engrandecer, conseguir um emprego ou tirar dinheiro de quem sabe menos do que eles... e estes acabam causando mais mal do que bem.

 

Isso sem falar em quem mente, dizendo que tirou semicha online quando não tirou...

 

A yeshiva online mais conhecida é a Web Yeshiva, e vocês verão no site que eles possuem dois programas, o HALACHA MASTER (http://mastery.webyeshiva.org/), que é aberto a homens e mulheres e tem duração de 3 anos e o programa de SEMICHA (http://mastery.webyeshiva.org/semicha/), que é permitido somente para homens e feito DEPOIS que este homem concluiu o curso de Halacha Master.  A semicha do Web Yeshiva é dada somente a judeus ortodoxos. A Web Yeshiva pede cartas de recomendação para aceitar futuros alunos.

 

A segunda mais popular é a Pirchei Shoshanin (https://www.shulchanaruch.com/) que oferece cursos em inglês, espanhol e hebraico.

 

 

 

FALTA DE ESTUDO 

É aí que entra a maior controvérsia: hoje em dia um judeu pode tirar semicha de 1 a 3 assuntos, numa yeshiva relax, tirar nota mínima para passar o curso e... não estudar mais depois disso. Ele recebe a semicha e passa a exibi-la como um troféu, não desenvolvendo seu conhecimento. Ele fica ESTAGNADO, vivendo do passado, sem avançar em conhecimento. O título de rabino é apenas um enfeite usado para compensar a falta de auto estima.

 

Por outro lado... há judeus que NÃO querem tirar semicha, mas dedicam todas as suas horas livres ao estudo das leis e filosofia judaica há mais de 50 anos, atende o Daf Yomi (estudo diário do Talmud) diariamente em shiurim (palestras) de 1 hora, se envolve em serviços comunitários, tem uma memória exemplar (boa memória ajuda muito!) e sabe mais de Judaísmo, no aspecto religioso e cultural, do a maioria dos rabinos que conhecemos. Mas tal homem não quer tirar semicha, pois não quer a responsabilidade de ter que tomar decisões haláchicas.

 

A quem chamar de Rabino? O ignorante estagnado de plantão que tem semicha para enfeitar a parede ou o mestre de Judaísmo que estuda sem parar, mas não possui semicha?

 

Para a frustração de muitos, em uma situação assim, o ignorante estagnado ganhou o título de Rabino e o mestre de Judaísmo não... 

 

Porém, quando conhecemos alguém nestes nível de conhecimento citado no segundo exemplo, muitos escolhem chamá-lo de Rabino para demonstrar respeito, mesmo que ele recuse e repita "Eu não sou Rabino, pare...não mereço o título, pare, por favor..."  Humildade em primeiro lugar.

 

 

 

FALSIDADE IDEOLÓGICA NA HORA DE FAZER O TESTE

Essa foi uma situação que me surpreendeu na primeira vez que li a respeito...eu jamais pensaria que tal coisa fosse possível... mas foi. 

 

Em 2012, cinco homens foram presos por se apresentarem para fazer o teste de semicha no lugar de seus amigos que lhes pagaram uma certa quantia pelo "favor" (https://www.theyeshivaworld.com/news/headlines-breaking-stories/128082/smicha-fraud-investigation-widening.html)... toda uma investigação foi aberta.

 

Há mais casos assim? Não sei...

 

Em 2014 foi descoberto um outro "esquema" em Israel, o de venda de semichas (https://www.timesofisrael.com/rabbis-jailed-for-selling-ordinations/). Felizmente os responsáveis foram PRESOS e as semichas anuladas.

 

 

 

VÁLHA-ME, DEUS! EM QUEM PODEMOS CONFIAR?????

Em pessoas que são respeitadas dentro da comunidade judaica. Respeito religioso é algo que se constrói com o passar dos anos. Sabedoria e conhecimento de filosofia, história, cultura, leis e vida judaica são construídas com o tempo...ninguém adquire o SABER de forma imediata. 

 

Fiquem atentos nas palavras. Pessoas mandonas, que gostam de intimidar, ameaçar, que são grosseiras, que te lembram mais um Neanderthal furioso do que um exemplo de vida judaica e que te fazem se sentir mal com as palavras que fala já mostram uma "bandeira vermelha de alerta" no primeiro momento que as vemos. Fique atento. Ou NÃO são rabinos ou tiraram uma semicha questionável. Quem se garante e tem auto estima não precisa intimidar outrem para ganhar "respeito".

 

Geralmente quem não sabe nada, fala muito... quem não sabe nada, exige ser chamado de rabino na grosseria mesmo (Rabinos de verdade não fazem isso, grande parte NEM se apresenta como Rabino), quem não sabe nada, afirma que tem "poderes" e "ruach hakodesh" (inspiração divina) e só fala em profecias porque não possui nenhum conhecimento sólido a mostrar...quem não sabe nada, sopra sozinho trombetas anunciando sua chegada e saída, como um bufão medieval...

 

Por isso que te aconselho a comprar livros, pois se você tiver pelo menos um básico de conhecimento sobre ética e valores judaicos, será mais fácil para você ver por si mesmo o nível educacional de quem se apresenta a você com o título de rabino.

 

 

 

A RABANUT

Eu tenho muita coisa contra e muita coisa a favor da Rabanut.

 

No caso de semichas, eu tenho uma opinião a favor, pois uma semicha aprovada pela Rabanut pelo menos mostra que o estudante manteve um nível de estudo que abrange diversos assuntos... a Rabanut salva, em muitas ocasiões, que o mundo das semichas se torne uma casa da mãe joana.

 

Eu achei esse PDF que é uma propaganda de um professor que ajuda alunos que querem tirar semicha pela Rabanut... vejo que 6 assuntos são necessários para a semicha: http://www.virtualgeula.com/semicha/semicha500.pdf

 

Porém não há obrigação nenhuma de um rabino ter semicha aprovada pelos testes da Rabanut. O teste da Rabanut existe, mas ninguém é obrigado a fazê-lo.

 

 

 

O QUE O BRESLOV TEM A DIZER SOBRE RABINOS FALSOS?

O movimento Breslov é uma grande vítima de falsos rabinos clamando pertencer a eles... eu já escrevi sobre isso algumas vezes, procurem no meu blog.

 

Eles possuem um artigo interessante sobre isso, o qual traduzirei agora parcialmente, se você quer ler o artigo inteiro, aí vai: https://www.breslev.co.il/articles/judaism/concepts_in_judaism/how_to_spot_fake_rabbis.aspx?id=26974&language=english

 

 

Rabinos reais: 

Tem empatia genuína

 

Não estão zangados, não são arrogantes, superiores ou condescendentes

 

Aconselham com suavidade nas palavras, sem coerção ou manipulação

 

Praticar consistentemente o que eles pregam (mesmo quando estão "estressados") 

 

Não são obcecados com dinheiro, STATUS e boa aparência

 

RARAMENTE falam de si mesmos 

 

São 100% verdadeiros (só falam a verdade e tomam cuidado com cada palavra que pronunciam) 

 

Eles não te culpam pelas falhas e imperfeições que você possui, ou por cometer erros 

 

Faz você se sentir bem consigo mesmo 

 

e por fim: Traz você para mais perto de D'us.

 

 

 

Rabinos falsos:

Parece que não "ouvem" o que você está dizendo a eles

 

Faz com que você se sinta como se lhes devesse muito, apenas por ter sido autorizado a entrar em sua "presença sagrada"

 

Ordena que você faça coisas e o critica se não concordar (ou obedecer)

 

Fica bravo e começa a te culpar quando as coisas (mesmo as pequenas coisas) não seguem a vontade dele

 

São arrogantes, superiores, impacientes e condescendentes

 

Estão cheios de julgamentos sobre outras pessoas

 

Estão cheios de lisonja falsa (pelo menos inicialmente, para que você goste e confie neles)

 

Estão obcecados com suas "conquistas" e com o que as pessoas pensam sobre elas

 

Faz você se sentir mal consigo mesmo e com suas sinceras tentativas de servir a D'us

 

Implica que eles tenham ruach hakodesh (inspiração divina/profecias), e usa isso como uma desculpa para abusar verbal e emocionalmente de você, ou fazer coisas ruins.

 

A última coisa a dizer sobre rabinos falsos é que eles sempre fingem ser perfeitos, o que significa que eles nunca, jamais, cometem um erro ou pedem desculpas, mesmo quando agiram muito mal.

 

"Real rabbis:
Have genuine empathy;

Are not angry, arrogant, superior, or condescending;

Gently advise you, without coercion or manipulation;

Consistently practice what they preach (even when they're 'stressed');

Are not obsessed with money, and status, and looking good;

Rarely talk about themselves;

Are 100% truthful;

Don't blame you for being flawed, or imperfect, or for making mistakes;

Make you feel good about yourself; and lastly;

Bring you closer to G-d.

Fake rabbis:
* Can't seem to 'hear' what you're telling them;
* Make you feel like you owe them big, just for being allowed into their holy presence;
* Order you to do things, and criticise you if you disagree;
* Get angry and start blaming you when things (even little things) don't go their way;
* Are arrogant, superior, impatient and condescending;
* Are full of judgement calls about other people;
* Are full of false flattery (at least initially, to get you to like and trust them);
* Are obsessed with their 'achievements', and what people think about them;
* Make you feel bad about yourself, and your sincere attempts to serve G-d;
* Imply they have ruach hakodesh, and then use that as an excuse for verbally and emotionally abusing you, or doing bad things
The last thing to say about fake rabbis is that they always pretend to be perfect, which means they never, ever own up to making a mistake, or apologize, even when they've acted very badly."

 

 

Kol tov e fique atento,

 

 

Esther

Please reload

Posts Destacados

A Review Completa de Nada Ortodoxa

May 22, 2020

1/10
Please reload

Procure por Tags
Please reload

© 2015 por Vida Pratica.