Review do Filme Menashe - Netflix


Menashe é um filme que tinha tudo para dar errado. É um filme curto, foi filmado em segredo dentro de uma das comunidades mais fechadas do mundo (sendo expulsos e ameaçados cada vez que eram descobertos), não possui nenhum ator profissional, não tem trilha sonora forte, foi feito com orçamento baixo (o diretor teve que pagar por muitas coisas do próprio bolso), é repleto de rituais religiosos alienígenas ao público geral e para completar, foi feito em um idioma que "ninguém" entende. Há mais de 70 anos não se via um filme em yidish.


No dia da estréia, o 'não-ator' Menashe Lustig que interpreta o protagonista, Menashe, foi a exibição do filme no Sundance Film Festival com medo e curiosidade. Menashe Lustig nunca tinha entrado em uma sala de cinema antes, e o primeiro filme que ele assistiu foi esse, baseado em sua própria vida. A pequena equipe de filmagem também não tinha a mínima idéia do que esperar da platéia, e com espanto e surpresa, viram críticos de cinema e público abrirem o coração para história sensível que trata de um drama universal: amor paterno.


As emoções humanas são universais, independente de credo, cultura ou etnia. Por isso o senso de integridade e identificação pessoal com o drama.



MENASHE LUSTIG

'Menashe' é baseado na história de Menashe Lustig, que é na vida real um homem que perdeu a guarda do filho,  devido a decisão de seu Rebe (líder religioso hassídico), após a morte repentina da esposa . Para a comunidade religiosa de Menashe Lustig, New Square - NY, a presença física de uma mãe é obrigatória dentro de lares com crianças. A lei civil é quase que inexistente e quem decide os "poréns" da comunidade é o Rebe. 


Assim como mostrado no filme, Menashe Lustig trabalha em um supermercado e quando se casar novamente, ganhará a guarda do filho. Caso ele continue solteiro, terá que se contentar em ver o filho ser criado por outra família, apenas visitando-o ocasionalmente. Se Menashe desobedecer o Rebe, seu filho será expulso da escola e toda a comunidade fechará as portas para eles. Assim é a vida entre hassidim. 


Na vida real, no entanto, Menashe Lustig não é tão desastrado quanto o Menashe da ficção. 


E você, que está lendo este blog, como seria um filme sobre sua vida?




O FILME

A primeira cena de Menashe mostra ruas de Boro Park, um bairro predominantemente hassídico de Nova York. Eu já fui lá algumas vezes e assim como no filme, todos se vestem iguais, são fisicamente parecidos e andam com semblante sério. Por isso essa primeira cena do filme é importante, porque mostra que Menashe é diferente. Ele não se interessa em se enquadrar aos padrões da comunidade... e isso só aumenta o seu drama. O semblante leve e quase infantil de Menashe contrasta com a severidade das expressões faciais dos demais pedestres. 


O drama tem por pano de fundo o que acontece durante o primeiro ano de falecimento da esposa de Menashe. A princípio, ficamos contra a decisão do Rebe de separar pai e filho. As tensões emocionais de Menashe aumentam com a proximidade do yortzeit (aniversário de 1 ano de falecimento) da esposa. 


Ainda traumatizado pela súbita mudança em sua vida, sem vontade de casar novamente, sofrendo bully no emprego e tentando esconder sintomas de depressão, que nos são revelados quando ele abre o coração para seus companheiros de trabalho não judeus, Menashe se torna um homem que é incapaz de evoluir. Ele ainda está de luto, e sem família ou amigos para lhe aliviar a dor de tantas mudanças, ele se vê completamente sozinho e não consegue carregar o peso do mundo em suas costas. Por isso ele sempre cai.


Mas com determinação Menashe se levanta após cada queda, sozinho, só para cair mais uma vez um pouco adiante e tentar se levantar outra vez. O amor genuíno que sente pelo filho e a vontade de protegê-lo lhe dá forças para lutar contra a todos e contra si mesmo até a cena final do filme.


Inocente e puro, ele nos lembra as tristes desventuras de Charles Chaplin e o quão Menashe é diferente do personagem Ted Kramer (Dustin Hoffman) no filme Kramer x Kramer, que aprendeu a ser um pai solteiro ao ponto de cuidar do filho melhor do que a mãe jamais o faria.


Ted Kramer é um personagem fictício. Menashe não. 




SÓ AMOR NÃO É SUFICIENTE

A cultura judaica nos traz algumas verdades desconfortáveis sobre a vida. 


"Uma boa esposa, um bom lar e pratos limpos" é o conselho dado pelo Rebe sobre o que um homem precisa para ser feliz, e tal verdade é combatida por Menashe durante todo o filme. 


Menashe nos mostra que só o amor não basta para construirmos uma família. Vivemos em um mundo físico. Aluguéis precisam ser pagos. Remédios precisam ser comprados. Empregos exigem nossas ações. Não importa o quanto amamos nossa família, só o amor não basta, é preciso responsabilidade para tomar as melhores decisões para manter a integridade de nossos familiares que dependem de nós.


Pra mim, essa é a mensagem principal do filme. 


Sem família e amigos, os únicos que mostram compaixão para com o palhaço triste são os funcionários não judeus que trabalham no supermercado; estes o apelidam carinhosamente de "Gordito", e nunca é revelado no filme se Menashe sabe o significado desta palavra. 


Com o aumento da pressão e depressão escondida, a observância religiosa do hassid começa a cair em pedaços...o que mostra que como uma panela de pressão mal ajustada, ele está a ponto de explodir. Só que ele sabe que na comunidade hassídica, se ele explodir, ficará mais sozinho do que antes, então ele mais uma vez tenta maneirar.


O grande dia do yortzei chega, e Menashe, na tentativa de mostrar a todos que ele tem condições de carregar o peso do mundo sozinho, mais uma vez ele pisa na bola e quase estraga a ocasião de uma forma irreparável. Esse se torna o seu momento de despertar. Ele tem que reconhecer que ele possui problemas, que jamais conseguirá vencê-los sozinho, que deve crescer como pessoa, dar a volta por cima e buscar apoio da comunidade para consertar sua vida.


A cena final mostra o renascimento de Menashe. E após renascido, o "novo Menashe" faz o que deve ser feito para se ajustar a comunidade e conseguir a guarda de seu precioso filho, interpretado pelo jovem Ruben Niborski. Segundo o diretor, algumas cenas mexeram tanto com os sentimentos do não-ator Menashe Lustig, que ele não conseguia incialmente distinguir a atuação de sentimentos reais, o que o levou a se recusar a gritar ou ser rude com o ator que interpretava seu filho. Foi necessário muita conversa para que ele aceitasse que não estava sendo rude com o jovem ator, que as cenas de irritação entre pai e filho eram apenas parte do script.




FILMAGEM CLANDESTINA

O filme foi feito na maior parte do tempo no bairro de Boro Park (Borough Park), que faz parte da subprefeitura de Brooklyn, em Nova York. Assim que vizinhos e rabinos descobriam que um filme estava sendo feito, eles ligavam, reclamavam, e isso causou um pouco de atraso nas gravações, porque acabaram tendo que ser feitas em locais diferentes. 


Boro Park possui uma vasta comunidade hassídica, andar por lá é praticamente como andar em outro planeta. Há aproximadamente 50 grupos hassídicos no mundo, e representantes de quase todos eles moram neste bairro.


O diretor do filme, Joshua Z. Weinstein, é um judeu não religioso cujos avós moram em Boro Park. Devido a visitas que fazia aos avós, ele se tornou uma presença constante no bairro e ao procurar por histórias interessantes em 2014, ouviu falar sobre a de Menashe Lustig e decidiu procurá-lo.



 Menashe Lustig e diretor Joshua Z. Weinstein



MENASHE LUSTIG

Menashe Lustig foi um dos primeiros hassidim a fazer vídeos cômicos para o Youtube (o que já implica uma quebra de decoro na comunidade) em meados de 2011. Além de ouvir a história de Menashe, Weisntein se interessou pela personalidade cômica que o hassid mostrava em seus vídeos e após muitas ligações telefônicas, conseguiu encontrá-lo pessoalmente e junto com os amigos Alex Lipschultz e Musa Syeed, escreveu o filme.


Você pode ver os vídeos de Menashe Lustig aqui: 


Limpando o carro para Pessach

https://www.youtube.com/watch?v=Puy3DuHk9HY


Fritando ovos com um ferro de passar roupas

https://www.youtube.com/watch?v=QQPPWGjnqtY


E este é o canal dele, que continua fazendo seus vídeos em yidish até hoje:

https://www.youtube.com/channel/UCzqrOkkM0-hi--D97L1qKgg



Não há atores profissionais no filme e isso dá um toque de originalidade a produção. Menashe Lustig, como citei acima, nunca tinha sequer entrado em uma sala de cinema antes do lançamento do filme. Nascido em uma comunidade hassídica de NY, Lustig viveu por 7 anos em Londres e ao voltar para o Brooklyn após o falecimento de sua esposa em 2008, foi surpreendido com a notificação de seu Rebe de que deveria se casar para poder viver com o filho. Ele mora atualmente em New Square, NY e trabalha em um supermercado.


Devido a sua recusa em se casar somado a sua paixão pelo Youtube, Menashe ficou mal visto  na comunidade, que não respeita a sede que ele tem de se expressar através da arte visual.


Pelo fato de que ele já era marginalizado ANTES de ser convidado para protagonizar o filme, Menashe Lustig não viu tantos problemas em aceitar o convite. Gato escaldado não tem medo de água fria, certo?


Mas o mesmo não aconteceu com outros hassidim convidados. Homens e mulheres que também foram convidados para fazer parte do elenco de Menashe tiveram que abandonar as filmagens devido a pressão religiosa de suas famílias, amigos e líderes religiosos. 



A COMUNIDADE - SKEVER HASSIDIM

Menashe Lustig, seguidor do Skever Rebbe (R. David Twersky), temia em como sua comunidade encararia o fato dele protagonizar um filme. E após ele voltar do Festival de Sundance, orgulhoso de seu trabalho como ator, ele descobriu que a comunidade sabia do filme e a repercusão não era nada boa...Menashe ficou com medo de ser expulso do bairro e banido da vida do filho. 


Foi então que conseguiram convencer alguns membros da comunidade a assistir ao filme, e após constatar com seus olhos que não havia nada moralmente ofensivo e nenhuma mensagem negativa contra a religião, o parecer geral da comunidade foi de que este filme não era tão ruim quanto haviam pensado e perdoaram Menashe por tê-lo feito.



ONDE ESTÁ MENASHE?

Além do Youtube, ele possui modestas contas de Twitter e Facebook, onde posta algumas raras fotos e opiniões. Aparentemente ele ainda não se casou. BOA SORTE, MENASHE, E OBRIGADA POR TRAZER MOMENTOS DE SENSIBILIDADE A NOSSAS VIDAS. Esperamos que a vida sorria para você da mesma forma que você traz tantos sorrisos a este mundo.




Kol tuv,




Esther


Posts Destacados
Procure por Tags

© 2015 por Vida Pratica.