Luto - O Que Amigos Devem Fazer


Seguindo a temática das mitzvot de destaque, hoje vamos falar do que amigos podem fazer (e o que devem evitar) durante os rituais judaicos feitos em memória o falecimento de alguém.


"Não estudamos rituais de luto até que nos tornemos enlutados." Essas foram as palavras de uma de minhas professoras, quando demonstrei interesse em aprender este assunto anos atrás. Quando um(a) judeu(ia) falece, ela me garantiu, Rabinos e amigos ensinam os(as) enlutados(as) em tudo o que devem fazer.


E ela estava certa, pois é isso mesmo que acontece.


Mas não se preocupe, meu post de hoje NÃO é para descrever rituais fúnebres, mas sim para descrever o envolvimento de amigos e conhecidos da pessoa que está enlutada. Disso podemos falar abertamente.


Minha primeira experiência com os rituais de luto do Judaísmo foi com o falecimento de meu sogro, Nicholas Goldberger, z"l.


A presença de amigos é extremamente importante nesse momento tão delicado, porém... muitos destes amigos não sabem exatamente o que fazer, como se comportar, o que dizer, o que NÃO dizer... e devido a esta ignorância, acabam magoando ou irritando o(a) enlutado(a).


É um tema sensível, mas... vcs sabem... isso aqui é um blog e não um curso de Judaísmo, então vou tentar ser o mais direta possível.




ENLUTADO

Dentro da lei judaica, é considerado enlutado somente familiares diretos da pessoa que é niftar (falecida). Desta maneira, os enlutados são os pais, filhos, irmãos, irmãs e cônjuges da pessoa que faleceu. Os enlutados seguem uma lista de rituais e restrições que duram por meses.


Demais parentes como avós, primos(as), tios(a) e sobrinhos(as) não possuem participação ativa durante os rituais de luto, como sentar shiva, dizer kadish e observar limitações de atividades durante o período em que o kadish deve ser dito.




ANÚNCIO

Após o anúncio do falecimento de um conhecido da comunidade judaica, é costumeiro que amigos dos enlutados digam "Baruch Dayan ha'Emet" (Bendito seja o Juiz da Verdade).


FAMILIARES que se tornam enlutados dizem a bênção 'Baruch ata Ad----nai, Elokenu Melech Haolam, Baruch Dayan Haemet".


Porém AMIGOS e parentes dos enlutados NÃO dizem a bracha (bênção), estes dizem somente Baruch Dayan ha'Emet.



Dica de Rabanit Bennun:

SEFARADITAS - em comunidades Sefaraditas, há o costume de se dizer MYIN HASHAMAYIN TENU CHAMO (Que os Céus Tragam Misericórdia) ao ouvir a notícia do falecimento de alguém. O costume Sefaradita de clamar misericórdia dos céus também se estende a visita que se presta aos enlutados durante a semana de shiva, dizendo Myin HaShamayin Tenu Chamo ao entrar na residência onde estão os enlutados e ao sair.



O que fazer quando ouvir o anúncio de um falecimento?

- Contactar outros amigos e informá-los, pois será necessário formar um mynian (quórum de 10 homens) para que os enlutados possam dizer kadish de forma apropriada.


- Se possível, contactar um familiar do enlutado para saber se a família precisa de auxílio. Auxílio extra é necessário quando os enlutados moram em outra cidade ou país. Ofereça ajuda ao familiar do enlutado ou contacte o Rabino de sua comunidade, para saber como você pode ajudar.


- Em comunidades judaicas grandes, amigos que são íntimos da família enlutada tem a liberdade ir até a família para prestar seus respeitos e solidariedade. Amigos que NÃO são tão próximos devem aguardar até o funeral para extender sua solidariedade aos enlutados.



O que NÃO fazer quando ouvir o anúncio de um falecimento?

Não escreva um mísero "BDE" na página de Facebook do enlutado ou familiares do enlutado.


Se uma pessoa anuncia o falecimento de alguém no Facebook (ou outra mídia), ou você não escreve nada e clica só na carinha triste OU você escreve algumas palavras de consolo e clica na carinha triste (eu sei que parece muito estranho essas regras de internet sobre luto, mas vivemos em uma geração onde os jovens e alguns adultos anunciam lutos e shivas pelas mídias sociais e alguns se magoam quando a única resposta que recebem em seu momento mais difícil são apenas 3 letras).


Responder apenas com as iniciais "BDE" dá a impressão que além de estar com muita pressa, você não tá ligando muito para a gravidade da situação.


Sem "BDE" no Facebook, por favor.





LEVAYA

Levaya é a palavra hebraica usada para descrever um funeral. Porém na tradução literal, levaya significa 'acompanhar', referindo-se a grande mitzva de acompanhar o falecido até o seu local de descanso final. O funeral pode ser feito em uma casa funerária, na sinagoga ou no próprio cemitério. É muito raro hoje em dia, século 21, funerais feitos dentro do lar do falecido ou de algum de seus parentes.


O que amigos podem fazer?

- Na tradição judaica, é considerado uma grande honra a memória do falecido que seu funeral e enterro sejam feitos o mais breve possível. Então se for possível, assim que você for avisado de quando será o funeral, peça uma licença de algumas horas no trabalho para atende-lo.


- Ao chegar ao local onde o funeral está sendo feito, se for possível, aproxime-se dos enlutados e ofereça sua solidariedade. Se você não é tão próximo dos enlutados, seja curto nas palavras. A família enlutada já está passando por muita coisa e não possuem a disposição emocional de ouvir longas histórias. Deixe as histórias para a visita que você fará durante a semana de shiva.


- Siga atentamente as instruções dadas pelos Rabinos que fazem o serviço funerário e posteriormente, o enterro.


- A caminho do túmulo, a procissão que acompanha o falecido para 7 vezes, que significa o desejo de atrasar a despedida. Se você nunca foi a um enterro em cemitério judaico, é bom ficar atento a este detalhe para não tropeçar na pessoa que está adiante e evitar incidentes com a pessoa desavisada que está atrás de você.


- Após o serviço religioso feito durante o enterro, enlutados, familiares e amigos próximos da família usarão uma pá para jogar terra sobre o caixão. Cada pessoa joga uma ou duas pás de terra. A pá, tradicionalmente, não deve ser passada de mão em mão, mas deve ser deixada sobre a terra para que a próxima pessoa a pegue e a utilize. Alguns possuem o costume de usar a pá do lado inverso (usando as costas da pá para colocar terra), isso simboliza a recusa em admitir a despedida final, assim como minimizar o barulho causado pela chegada da terra ao túmulo, o que pode agravar os sentimentos de alguns enlutados.




O que NÃO deve ser feito?

- Deixar o celular com o volume ligado durante a levaya (funeral) e enterro.

Amigos que vão a um funeral devem desativar o volume do celular e de aplicativos que façam sons com recebimento de novas mensagens antes mesmo que saiam de casa, para não esquecer.


- Tratar o funeral como uma reunião de amigos ou de negócios. Há hora para tudo... hora de socializar e hora de respeitar o silêncio. Durante um funeral e enterro, deve-se manter recato no falar.


- Fazer cara de estranheza ou dizer "Nunca vi isso", "Não é assim que se faz" ou qualquer outro comentário que tenha intenção de JULGAR os procedimentos feitos durante a levaya. Há MUITAS comunidades judaicas no mundo e cada uma delas carrega suas próprias tradições.


Quando vemos algo novo, algo que nos causa estranheza, devemos perguntar ao Rabino o significado daquilo ou chegar em casa e tranquilamente ir pesquisar no Google.


- Segundo a tradição judaica, crianças e mulheres grávidas não devem ir a funerais ou a cemitérios. Isso pode ser traumatizante para as crianças, caso elas chorem isso pode irritar os enlutados e mulheres grávidas podem se emocionar tanto que correm o risco de ter sua gravidez prejudicada.






SHIVA

Shiva (שִׁבְעָה) significa SETE em hebraico.


Após o enterro, os enlutados passam sete dias de luto dentro da residência do falecido, ou quando moram em outras cidades ou país, em suas próprias residências.


Durante a semana de shiva, os enlutados seguem uma lista de rituais religiosos, como sentar em uma cadeira mais baixa do que uma cadeira comum. Por isso usamos a expressão sentar shiva, que significa que o enlutado ainda está dentro desses sete dias de luto.


A semana de shiva traz um desafio extra para os enlutados, que é o de lidar com a falta de sensibilidade e gafes dos amigos que vem visitá-lo.


É uma mitzva visitar amigos enlutados durante a semana de shiva, porém... durante a visita, algumas pessoas realmente passam dos limites e em vez de trazer consolo, irritam e magoam os enlutados.


"Fazer uma visita ou uma ligação telefônica a enlutados durante a semana de shiva é geralmente considerado um dos mais altos níveis de respeito que um indivíduo pode prestar a um judeu falecido e sua família. Durante a semana de shiva, membros da família, amigos e colegas se reúnem para oferecer condolências aos enlutados, além de homenagear os que partiram. Muitas pessoas não estão familiarizadas com as tradições e costumes de shiva. Muitas vezes, os indivíduos não têm certeza de quando chegar, quanto tempo ficar (ou seja, a duração da visita), o que dizer e como se despedir dos enlutados." - www.shiva.com


Primeiro, vamos a lista do que NÃO FAZER. Depois, a lista do que pode ser feito durante uma ligação ou visita de shiva.





O Que NÃO Fazer Durante Uma Visita de Shiva


- Não brincar com celular. Evitar receber ligações durante a visita. Evitar a todo o custo fazer ligações durante a visita. Durante uma visita que se destina a consolar enlutados e respeitar a memória de quem partiu, é inadmissível que indivíduos fiquem brincando de FB, Whatsapp, Instagram etc.


- Não pergunte aos enlutados detalhes que causaram a morte de seus parentes ou cônjuges. Isso é inadmissível.


- Não interrompa outro visitante que está conversando com o enlutado ou o enlutado. Deixe que cada pessoa fale e termine suas frases. Não procure chamar a atenção do enlutado sendo indelicado com os outros.


- Jamais, em hipótese alguma, diga aos enlutados que eles se sentirão felizes quando a semana de shiva acabar.


- Quando a semana de shiva acabar, não espere que o enlutado volte a ter uma vida online como ele tinha antes... se você mandar uma mensagem e o enlutado não responder, respeite, pois não sabemos como o dia dele está sendo...


- Não discuta detalhes de como estava a saúde do falecido, internações em hospitais etc., se o enlutado começar a falar, ouça e tenha cautela ao fazer comentários a respeito.


- Não é necessário ficar muito tempo. Uma visita de 5 a 20 minutos é o ideal, caso você não seja muito próximo dos enlutados. Caso você seja um amigo próximo, então você terá a liberdade de ficar mais tempo.


- Não pense que a shiva foi feita para agradar você, esse ritual de passar a semana de shiva é única e exclusivamente direcionada aos enlutados. Então se algum Rabino ou algum dos enlutador fizer algum pedido estranho, como "mulheres fiquem de um lado da sala e os homens do outro", ou algo do tipo, simplesmente respeite.


- Não ligue para os enlutados para prestar condolências do meio do trânsito, da rua ou de um escritório barulhento. Dará a impressão que você não liga para a gravidade da situação. Nem preciso dizer que é inaceitável que você ligue enquanto está comendo, certo?


- Vista-se de maneira respeitosa a memória do falecido, assim como de uma forma a não agredir qualquer sensibilidade dos enlutados


- Se você é um judeu que não usa kipá diariamente, evite ir a uma visita de shiva sem kippah, pois há a possibilidade de que você chegue justamente durante o horário das rezas e aí vai se criar aquela situação de "Tem kipá sobrando para fulano? Onde estão as kipás da casa? Fulanoooo, traga uma kipá pra sicrano, pois ele não tem" etc etc etc


- Não coma demasiadamente! ALGUMAS famílias que estão de shiva oferecem um mini café da manhã para quem participa de Shacharit (reza matutina), pois tais participantes vão direto para seus empregos após rezares. Quem quiser, pode sim comer algo após dizer uma brachá (bênção), mas... regule-se... você pode ter seu café da manhã completo mais tarde. Moderação é necessária nessas horas. Há judeus que evitam comer na casa de enlutados, para lhes poupar qualquer preocupação, mas...hoje em dia... século 21...as coisas mudaram um pouco em algumas comunidades e café da manhã pode ser servido. Moderação. Sempre.


- Nunca minimize a dor dos enlutados ou a doença/situação que levou ao falecimento de alguém.


- Não comece a anunciar em voz alta todas as suas simchas (ocasiões festivas como casamentos na família, brit etc) durante a visita de shiva. Faça seus anúncios na hora certa, a semana de shiva não é dedicada a você, mas aos enlutados.


- Não entre na casa e fique no canto, calado, ignorando os enlutados, só pra dizer que fez a visita. Fale com os enlutados.


- Não compare a dor dos enlutados ou os problemas que eles passam (ou que o falecido passou) com os seus próprios problemas, fazendo com que seus problemas soem mais sérios que os dos enlutados ou falecido.


- Não justifique o que Deus fez ou deixa de fazer. Não é o momento para inventar justificações. Assim como os enlutados, ninguém sabe os motivos pelos quais Hashem permitiu tal falecimento. As vezes ao tentar justificar as ações divinas, acabamos irritando os enlutados, pois eles estão encarando uma dor a qual nós não estamos e o senso de percepção deles é diferente do senso de percepção de quem NÃO está de luto.


- Jamais diga as frases jargão durante uma visita de shiva:

"Os bons morrem mais cedo"


"Deus nunca manda um desafio maior do que nossa capacidade de superá-lo"


"Você tem sorte que ele(a) morreu tão de repente, assim não sofreu"


"Ele(a) está em um lugar melhor agora"

"Pela idade avançada dele(a), já era mesmo a hora de partir,

ele(a) viveu uma vida longa"


"Não chore, você é tão forte"


"O tempo cura todas as feridas, vai curar a sua também"


"Não se preocupe, você vai ter outros filhos" (ao falecimento de um(a) filho(a))


"Não se preocupe, você vai conhecer alguém e tudo será melhor" (ao falecimento de um cônjuge)


"Quantos anos? Ah, já viveu muito..."


"Você parece cansado(a)"


"Eu sei como você se sente"


Embora tais frases soem inofensivas para quem NÃO está de luto, só quem já passou por uma morte na família sabe o quanto elas podem ser dolorosas de ouvir.



- Não tente racionalizar os motivos que levaram a morte do falecido, na frente dos enlutados. Inadmissível.


- Não traga flores. Não é um costume judaico e vai parecer bem estranho.



- Não tenha medo ou se sinta intimidado com o silêncio. É comum, dentro da tradição judaica, que visitantes e enlutados permaneçam em silêncio.


- Evite levar crianças em casas de shiva. Faça um acordo com seu cônjuge, um vai na shiva enquanto você cuida dos filhos e depois invertem ou deixem a criança com a vovó ou contratem uma babá.


Dica de Rabanit Rivkah Bennun:

NÃO É UM COSTUME JUDAICO DIZER "Meus sentimentos". Judeus sempre desejam uns aos outros que vivam 'Ad 120' (Até os 120 anos), então se a pessoa se vai antes de completar 120 anos, a pessoa que fala está lamentando uma decisão do Borê Olam (Criador de todas as coisas), e quem somos nós? Para refletir a tradição judaica, diz-se Baruch Dayan Ha'Emet, Myn HaShamayin Tenu Chamo ou até mesmo um simples 'minhas condolências', já que a palavra condolência demonstra compaixão pelos enlutados. Em uma shiva deve-se ter muito respeito...sentar junto ao enlutado sem dizer nada... só aquele olhar de misericórdia...pode-se ficar uns 5 minutos lendo Salmos...e aí levanta-se e diz-se mais uma vez Myin HaShamayin Tenu Chamo (Ashkenazitas dizem Hamakom yenachem etchem b’toch sha’ar ovlei Tziyon v’Yerushalayim) aos enlutados, antes de sair.



Ok... agora vamos falar do que você pode fazer durante uma visita de shiva.






O Que Fazer Durante Uma Visita a Enlutados que Estão em Semana de Shiva?


- Enlutados não podem cozinhar. É um imenso ato de chessed (bondade) trazer alimentos a eles. O ideal é que alguém da comunidade organize uma lista de refeições que podem ser trazidas aos enlutados e aí indivíduos da comunidade podem se oferecer para trazer uma das refeições.


- Quem não pode trazer uma refeição completa, pode trazer (NÃO é uma obrigação, apenas um ato singelo) algo fácil de ser dividido entre os enlutados como biscoitinhos ou um bolo... NÃO ENTREGUE O ALIMENTO AO ENLUTADO. Se você vai trazer algo, entregue nas mãos do familiar do enlutado que está a frente das responsabilidades do lar.


- Se você cozinhou algo, identique o alimento (escreva ou coloque uma etiqueta) como halavi (leite), bassari (carne) ou parve.


- Mesmo que o clima na casa pareça uma "festa" deviso aos visitantes que não sabem se comportar ou o que fazer e acabam falando alto, rindo, contando piadas (tudo isso na frente dos enlutados) por horas, você deve se comportar com solenidade e moderação. Pessoalmente, eu já fui a casas de shiva que mais pareciam uma festa de amigos... pra mim, é triste, pois o motivo pelo qual vamos visitar os enlutados é para CONSOLÁ-LOS, e não para socializar alegremente enquanto comemos e bebemos com amigos que não vemos a muito tempo. Se comporte.


- Por favor, controle o seu senso de humor, pois ele te levará a fazer piadas desnecessárias que causarão mal estar entre os enlutados.


- É uma tradição antiga...porém não muito conhecida na maioria das comunidades a de não dirigir a palavra aos enlutados e esperar que o enlutado se dirija a nós... enfim... há comunidades que seguem este costume... há comunidades que não... na dúvida, ao entrar na residência de shiva, sente-se próximo aos enlutados e veja o que está acontecendo... se os enlutados não falarem nada, você pode dizer "Sinto muito pela sua dor" e ficar em silêncio. Não é necessário conversar, o enlutado precisa só saber que estamos lá ao lado dele neste momento.


- Durante a visita, se você tem uma memória positiva do falecido, conte-a aos enlutados. É muito confortante para eles conhecer histórias referentes ao ente querido que partiu. Eu lembro que quando meu sogro e posteriormente, minha sogra, faleceram, as histórias de chessed dos dois trouxeram grande conforto ao meu marido e irmãos.


- Diga seu nome aos enlutados, pois se você não é um amigo próximo, provavelmente eles não lembrarão.



- E novamente, lembro que não é necessário falar durante uma visita de shiva. Basta chegar, sentar-se e se o enlutado falar com você, responda e dê suas condolências. Se o enlutado não falar, observe como está o clima... se o clima estiver em um tenso silêncio, não tema, silêncio é necessário as vezes para ajudar o enlutado. Se o ar estiver mais ameno e as pessoas estiverem conversando com o enlutado, aguarde sua vez ou simplesmete ouça as conversas, em silêncio. Para o enlutado, o importante é apenas saber que você esteve lá neste neste momento tão difícil.


- Quando se despedir dos enlutados, diga em hebraico ou em português:


Ashkenazitas: Hamakom yenachem etchem b’toch sha’ar ovlei Tziyon v’Yerushalayim (המקום ינחם אתכם בתוך שאר אבלי ציון וירושלים). Que Hashem te traga conforto entre os enlutados de Sião e Jerusalém.


Dica de Rabanit Rivkah Bennun:

Sefaraditas: Myin HaShamayin Tenu Chamo (Que os Céus Tragam Misericórdia) ao ouvir o anúncio do falecimento, ao encontrar os enlutados na casa de shiva e ao se despedir dos enlutados.





Que possamos ouvir somente sobre simchas de hoje em diante,



Esther





www.shiva.com/learning-center/visiting-shiva/act/how-long-to-stay-at-a-shiva/


https://michalagusfox.wordpress.com/2015/08/04/reflections-on-shiva/


https://jewinthecity.com/2015/08/13-common-shiva-mistakes-you-may-be-making/


https://www.everplans.com/articles/a-guide-to-shiva-etiquette


https://www.chabad.org/library/article_cdo/aid/2399370/jewish/Shiva-Etiquette.htm



Posts Destacados
Procure por Tags

© 2015 por Vida Pratica.