Plágio Santo ou Expansão Cultural?

Vamos falar de música!

 

Eu inventei o termo 'plágio santo' para me referir a músicas seculares que foram adotadas pela comunidade judaica religiosa e que são tocadas normalmente em eventos diversos como casamentos, bar mitzvas, shows etc etc etc

 

 

 

MAS COMO ISSO FUNCIONA?

Sabe as famosas vesões brasileiras de sucessos internacionais que quando traduzimos para o português não tem nada a ver com a letra original? Pois é... é assim que funciona. 

 

 

 

QUANDO COMEÇOU

Música é uma expressão cultural, então não há nenhuma chance de saber quando exatamente um povo pegou a canção de outro povo, trocou a letra e começou a cantar. 

 

O que sabemos que isso acontece no mundo todo, desde que o ser humano começou a cantar.

 

No mundo judaico ashkenazita (e tenho certeza que também no mundo sefaradita e mizrahi), ainda é possível identificar algumas canções que soam como cantos folclóricos europeus. 

 

 

 

 

A RELEVÂNCIA DISSO HOJE

Então... hoje em dia a coisa evoluiu e o no passado não passava de colocar letras judaicas em canções folclóricas  se tornou hoje em dia algo... digamos... comercial. 

 

 

 

 

COMO ASSIM?

 

Vou te dar alguns exemplos:

 

Você consegue identificar essa música?

 

 

Ok... alguma semelhanca com essa?

 

 

Ok, os arranjos feitos na versão de Gad Elbaz e Nissim Black soam bem diferentes da música original, cantada pelo cantor e compositor algeriano Khaled. Mas... o que seria desse sucesso no mundo judaico sem o cativante refrão?

 

 

 

Mas... e quanto a essa música?

 

 

Não teria a ver com essa?

 

 

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

 

Eu me divirtooooooooooooooo nesse mundo! Kkkk 

 

 

 

 

MAS COMO ISSO É ACEITO POR ORTODOXOS?

 

 

É o que eu me perguntei logo que comecei a ouvir versões judaicas de músicas populares. Eu fiquei bem surpresa, mas... fazer o que? Cai na dança! hhauahuauauaua 

 

 

 

MAS ELES SABEM O QUE ESTÃO CANTANDO E DANÇANDO?

 

Eis o X da questão.

 

Os cantores sabem o que estão cantando. Não sei se vêem vídeos ou somente se inspiram quando ouvem essas canções no rádio... o fato é que eles sabem sim que a fonte de sua inspiração é uma canção nada judaica, mas de som cativante.

 

Agora quanto aos meros ouvintes... eu diria que quanto mais fechada a comunidade, menos eles sabem a procedência de suas músicas festivas. Acredite, algumas pessoas realmente não possuem a mínima ideia de que algumas canções como as mostradas acima originalmente não tem nada a ver com Judaísmo e pensam que as músicas são de autoria dos cantores judeus que as apresentam.

 

Mas não é assim com nossas versões brasileiras de músicas americanas? 

 

Pois é.

 

Quem vem de fora, como eu, consegue facilmente identificar músicas originais judaicas e versões de músicas pop com letras judaicas. Baalei teshuva (plural de baal teshuva) também conseguem identificar. Mas... judeus que já nasceram em lares religiosos...uau...a maioria não sabe a origem de suas músicas favoritas.

 

 

 

E SÃO MUITAS MÚSICAS

 

Há versões judaicas de Lady Gaga 

 

 

 

Tem Despacito...

 

 

 

(acho essa versão do casamento melhor que a original kkkkk)

 

 

 

Enfim... Justin Timberlake, One Direction... pense em uma música famosa e provavelmente haverá uma versão em hebraica dela cantada em eventos religiosos.

 

 

Sempre que começam a tocar uma versão dessas, minha primeira reação é rir. Aí eu olho em volta e vejo (na maioria das vezes) que ninguém está rindo... aí eu me acalmo do riso e vou pra galera!

 

 

Enfim... então, se vc estiver perdido em alguma festa judaica e começarem a tocar algum sucesso do rádio, só que com letra religiosa e em hebraico, não estranhe, é totalmente normal!

 

 

 

Kol tov,

 

 

Esther  :)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Please reload

Posts Destacados

A Review Completa de Nada Ortodoxa

May 22, 2020

1/10
Please reload

Procure por Tags