O Que É Uma Shiksa?




Vamos falar sobre a shiksa. O estereótipo, o lado real, o elogio e obviamente, o lado ofensivo desta palavra que tanto tem acrescentado para o lado mitológico do Judaísmo.



GERAL

No geral, a palavra shiksa é usada para identificar meninas e mulheres não judias.



O NÃO GERAL

Porém, pelo ângulo mais individual do assunto, a palavra shika tem duplo sentido. Na maioria das vezes, ela é usada de forma pejorativa, as vezes é usada de forma neutra e raramente, como um elogio a uma mulher sexy que não tem "cara de judia". Exemplo, "Ele tá de mãos dadas com uma loira daquelas, com certeza uma shiksa."




ORIGEM DA PALAVRA

Há teorias, nenhuma delas é boa. A teoria mais popular é que shiksa vem da palavra hebraica sheketz que significa ABOMINAÇÃO, no contexto de que um inseto não casher é uma abominação. No tratado Pesachim lemos observações de alguns rabinos que judeus estudados não deveriam se casar com filhas de judeus ignorantes da Torá, "Que ele não se case com a filha de um homem ignorante e que não obedece a Torá, pois elas são uma abominação [sheketz] e as esposas de tais homens são como insetos rastejantes."


E daí... uma coisa leva a outra e com o tempo, a palavra sheketz (abominação) ganhou duas versões em yidish:


  1. Sheygetz = usado quando um judeu quer chingar outro judeu de mau caráter, abominável para a comunidade, criminoso etc

  2. Shiksa = mulher não judia


JUDEUS SABEM QUE ESTÃO CHINGANDO AS NÃO JUDIAS DE ABOMINAÇÃO?

Eu sou judia há 15 anos e posso dizer que pelo que eu vejo, a resposta é não. Eu diria que mais de 90% dos judeus do mundo não tem ideia que shiksa significa abominação.



SE O SIGNIFICADO É TÃO RUIM, POR QUE JUDEUS USAM A PALAVRA?

Como disse, a maioria não sabe a origem da palavra e apenas a repete para se referir a não judias, na maioria das vezes, de modo pejorativo.


Pessoalmente, eu NUNCA ouvi alguém se referir a uma não judia que exerce uma profissão do alto padrão (juíza, médica etc) de shiksa.


A palavra shiksa é sempre dirigida, ao meu ver, a mulheres que despertam o ciúme de mulheres judias (a chamam de shiksa como um tom pejorativo para lembrar seus filhos, namorados ou maridos de que a mulher em questão é proibida para eles), a mulheres de profissões mais humildes (empregadas domésticas) e como uma forma de lembrar a todos que as judias são superiores às não judias em algum assunto da vida...


Eu sei que há, nesse mundo de meu Deus, algum judeu totalmente desinformado que usa a palavra inocentemente, sem ter ideia de suas conotações, apenas repetindo como papagaio o que cresceu ouvindo em casa. Mas... estes são raros.



SHIKA = OFENSA OU ELOGIO?

Pra mim, é ofensa. Pra mim, sempre foi ofensa, porque eu NUNCA vi essa palavra sendo usada a fim de elevar alguém, e sim diminuir a imagem da mulher não judia.


Você, caro(a) leitor(a), escolhe o que quer acreditar.



QUANDO ME CHAMARAM DE SHIKSA

Me chamaram de shiksa uma única vez. E quem me conhece, sabe que eu não vejo problema algum em cortar o mal pela raíz, na hora, ao vivo e a cores. Estava eu, APÓS MINHA CONVERSÃO, de peruca e saia longa na casa de uma senhora que tinha convidado a mim e maridex para o jantar de Shabat. Em algum momento da conversa, a mulher diz, se referindo ao fato de eu ser brasileira, "Esther is a shiksa" e continua falando sobre sabe-se lá o que (eu não lembro mais). Na hora eu cortei em voz alta "I AM NOT A SHIKSA. I AM A JEW.", na frente de todos. A mulher ficou sem graça, riu, me abraçou e disse, "She is a shiksa just like me" (Ela é tão shiksa quanto eu), eu não movi um músculo, apenas olhei muito séria para ela e disse "I am not a shiksa. I am a Jew.". Ela ficou sem graça, todos ficaram sem graça, e o jantar prosseguiu. Somos amigas até hoje e ela nunca mais repetiu a ofensa.


Pra mim e maioria de geyores (judias por opção), shiksa é uma ofensa séria.



MULHERES QUE NÃO SE OFENDEM

Havia um blog de culinária muito popular anos atrás, Shiksa in the Kitchen (A Shiksa na Cozinha) que era de uma moça não judia, Tori Avey, casada com um rapaz judeu. Ela era uma cozinheira de mão cheia. O blog foi popular por anos, até o dia que ela se converteu e mudou o nome do blog para o nome dela mesmo.


Isso mostra que muitas mulheres acham a palavra shiksa atraente, legal, cool. Por que isso acontece?


Por que a palavra também é usada para descrever não judias sexys, principalmente nos EUA.



A SHIKSA-SEXY


gif

A shiksa é o sonho impossível de todo bom menino judeu.


Ela não se parece com sua mãe, nem com nenhuma mulher de sua família, ela não tem as "paranóias" religiosas judaicas, não tem traumas judaicos (perseguição religiosa, antisemitismo, o eterno e imenso complexo de culpa religiosa que persegue a maioria dos judeus etc), é alegre, sexy, de bem com a vida, mexe o cabelo com as mãos, dança quando quer, usa óculos escuros, vai a praia, sorri, é FELIZ, livre, leve e solta.


PAra o homem judeu, a shiksa é exótica, e o segredo para o erotismo é ser ...exótico.


Ironicamente, para um homem não judeu, a mulher judia é exótica... ninguém nunca tá feliz com aquilo que tem, essa é a natureza humana. Mas continuando...


gif

"Oh, como elas ficam tão lindas, tão saudáveis, tão loiras? Meu desprezo pelo que elas acreditam (cristianismo) é mais do que neutralizado pela minha adoração pela sua aparência, pela forma como se movem, riem e falam."

Philip Roth, Portnoy’s Complaint



A sexy-shiksa é um tabu com que a maioria dos homens judeus sonham. Diferente dos GIFS que coloquei acima, elas não precisam ser loiras, mas o arquétipo da sexy-shiksa é uma loira que faz o trânsito parar.



Agora você entende essa referência em The Big Bang Theory, certo?



Infelizmente alguns judeus, principalmente ortodoxos, ficam totalmente obcecados pela imagem da sexy-shiksa e chegam a viajar para outras cidades ou países, onde podem tirar seu "uniforme" de roupa preta e chapéu e cair nos braços da tão sonhada shiksa. Após satisfazer egoisticamente seus fetiches, ele coloca o uniforme e volta pra casa. (Quem assistiu Shitsel, vai lembrar do drama vivido pela personagem Gitti, quando seu marido deixa de ser religioso e larga o emprego para aproveitar a vida ao lado de uma sexy-shiksa na Argentina).


Candidatas a conversão, FIQUEM DE OLHO, todo cuidado é pouco, pois aos olhos de um predador, você não passa de uma shiksa que pode ser usada e abusada.



TAHARAT HAMISHPACHA

A-ha! Eu sei que muitos estão se perguntando agora "Mas se o homem judeu só quer se divertir com uma não judia, como fica esse lance de pureza familiar? Ele não tá pecando nesse quesito também?"


E eu, como professora de taharat hamishpacha te respondo: Não. Ele peca contra a Lei de Deus e contra a lei civil sentido de ÉTICA, mas não no sentido de taharat hamishpacha. A razão é simples, MITZVOT FORAM ENTREGUES AO POVO JUDEU E ALGUMAS SÓ SÃO QUEBRADAS, SE A AÇÃO PROIBIDA FOR FEITA DE UM JUDEU PARA OUTRO.


Ou seja, um homem judeu que tem relacionamento físico com uma mulher judia fora do casamento, quebra a lei de taharat hamishpacha porque essa mitzvá foi dada SOMENTE A JUDEUS.


Um homem judeu que tem um relacionamento físico com uma mulher não-judia, NÃO quebra a mitzvá de tarahat hamishpachá, porque essa mitzvá NÃO foi entregue a não judeus. Sendo assim, o homem judeu não tem nenhum problema porque a mitzvá de tarahat não se aplica a namorada não judia... ele não peca (no sentido de pureza familiar), ela não peca porque essa mitzvá não se aplica a ela, e a vida segue adiante.


Esse tipo de situação é o que chamamos de 'uma brecha na halachá'. Todo sistema de lei tem suas brechas... e pessoas mal intencionadas procuram todas essas brechas minuciosamente, para tirar proveito delas. Há várias brechas na halachá, caros e caras... e Deus há de lidar com quem tira proveito dessas brechas para prejudicar o próximo.



A DEUSA-SHIKSA

Shiksa-goddess... a deusa shiksa é uma expressão usada nos EUA por algumas mulheres que se orgulham de ser shiksas... vai entender. Com certeza elas só pensam na referência sexy da palavra e nunca foram informadas de seu signficado.





CONCLUSÃO

Meu conselho é que você nunca use essa palavra, PRINCIPALMENTE ao se referir a mulheres que se converteram ao Judaísmo.


Shiksa e sheygetz (leia-se sheiguets) possuem a mesma raíz hebraica, sheketz, que quer dizer abominação.


A maioria dos judeus não sabe o significado da palavra shiksa. A maioria dos judeus sabem o significado da palavra sheygetz.


Há não-judias que inocentemente se orgulham de serem chamadas de shiksas. Elas escrevem livros sobre isso, judeus escrevem livros sobre elas etc etc etc.


Eu nunca vi a palavra shiksa sendo usada para exaltar alguém. Assim como nunca vi a palavra sheygetz sendo usada para exaltar um homem.


A palavra é usada largamente para apontar mulheres de profissões mais simples. como domésticas.


Cabe a você, leitor(a), pesquisar mais sobre isso e decidir se tal palavra fará parte do seu vocabulário ou não.



Kol tov,



Esther









Posts Destacados